Os relógios migram para pulsos mais finos, mas não menos firmes -  Foto: reprodução
Os relógios migram para pulsos mais finos, mas não menos firmes – Foto: reprodução

Por Ligia Carvalhosa

Se os limites entre masculino e feminino já são irrelevantes no guarda-roupa, por que também não seriam no mundo da alta-relojoaria? Antes símbolo máximo de luxo e poder entre os homens, os relógios migram para pulsos mais finos, mas não menos firmes. “Mulheres são o futuro dos relógios de pulso”, declarou, recentemente, Jean-Claude Biver, chefe da unidade de relógios da LVMH. Campanhas protagonizadas por atrizes, modelos e moças de fino trato atestam o movimento. Enquanto a suíça IWC reuniu Cate Blanchett, Emily Blunt, Adriana Lima e Karolina Kurkova para as lentes de Peter Lindbergh, a alemã Montblanc anunciou a princesa de Mônaco, Charlotte Casiraghi, como sua nova embaixadora. Completando a cena, a empresária e case de street style, Helena Bordon, é o novo rosto da Jaeger-LeCoultre, grife suíça que escalou, pela primeira vez, uma brasileira para sua campanha.

Dando fôlego à tendência, o tradicional salão de alta-relojoaria de Genebra, principal evento do métier, registrou forte crescimento nas ofertas para o público feminino. Cravejados de diamantes e esmeraldas, os lançamentos de Piaget, Van Cleef e Cartier são verdadeiras joias de pulso. E não, não estamos falando apenas de modelos delicados e discretos, que costumavam, até então, dominar as ofertas femininas. São peças que remetem, diretamente, às riquíssimas usadas nos anos 1950 por Elizabeth Taylor e Grace Kelly, como a pantera de olhos de esmeralda, sob um céu de estrelas rodeado por um meio pavê de diamantes, da Cartier. Mais elaborados e de peso, os relógios poderiam circular, única e exclusivamente, por salões habillé, mas equilibram também produções de acento esportivo.

E como qualquer objeto máximo de desejo, não basta ter apenas um. Para além das peças ultradecoradas, típicas da relojoaria feminina, desenhos de linhas limpas, mas ainda com certo peso nas formas, também são apostas certas. IWC, Vacheron Constantin e Parmigiani Fleurier acenderam suas peças essencialmente masculinas com pontos de diamantes, enquanto a Baume & Mercier lançou a primeira versão feminina de seu Classima. De alta qualidade e design clássico, são modelos atemporais e escolha certa para compor seu básico do dia a dia. E, para além do óbvio, alternativa perfeita para um look festa cheio de contrastes. Mais cool, impossível.