A persona digital da Renner Rennata – Foto: João Arraes, com direção de Alline Cury, edição de moda de Diogo Arruda, direção de arte de Diogo Ferreiras, produção executiva de Lisieux Hetzel Pereira e set design de Renata Henckel

Influenciadora digital, modelo virtual, creator. Provavelmente você já ouviu falar de algum desses termos – e usar qualquer um deles para defini-la não estaria errado –, mas Rennata, 34 anos, prefere se descrever como uma porta-voz de boas notícias. “Anda cada vez mais difícil se manter atualizada, tudo muda o tempo todo, assim como o feed das nossas redes sociais, por exemplo. Como eu estou sempre online, fico de olho em novidades que possam interessar o nosso público.”

A persona digital da Renner Rennata – Foto: João Arraes, com direção de Alline Cury, edição de moda de Diogo Arruda, direção de arte de Diogo Ferreiras, produção executiva de Lisieux Hetzel Pereira e set design de Renata Henckel

Gaúcha radicada em São Paulo há 15 anos, a new face da Renner chega para consolidar a aceleração digital da marca e, claro, trazer muitas novidades sobre moda e estilo. Bazaar bateu um papo exclusivo com a influencer e você confere a seguir:

Quem é você? Como você se descreveria para o público?

A persona digital da Renner Rennata – Foto: João Arraes, com direção de Alline Cury, edição de moda de Diogo Arruda, direção de arte de Diogo Ferreiras, produção executiva de Lisieux Hetzel Pereira e set design de Renata Henckel

Olha, como uma boa geminiana com ascendente em touro, adoro uma novidade! Minhas amigas costumam dizer que sou o radar fashion delas (risos), por isso não gosto de me definir apenas como modelo virtual. Sou uma personagem digital com uma alma real, me conecto com as dúvidas, com os dilemas e as necessidades das pessoas, especialmente do público feminino, porque eu também as tenho. Nasci para compartilhar dicas e notícias boas da Renner, acho que estamos precisando desse tipo de conteúdo na internet.

Conte-nos um pouco sobre sua relação com moda e estilo. Qual peça não sai do seu guarda-roupas?

A persona digital da Renner Rennata – Foto: João Arraes, com direção de Alline Cury, edição de moda de Diogo Arruda, direção de arte de Diogo Ferreiras, produção executiva de Lisieux Hetzel Pereira e set design de Renata Henckel

Sou apaixonada por moda desde pequena e, como trabalho com isso, respiro tendências 24 horas. Mas, moda, para mim, não é só sobre o que é trendy, sabe? Sempre enxerguei a moda como uma forma de expressar minha personalidade, então ela deveria ser simples, feita para todo mundo. Por isso acredito tanto na filosofia da Renner, de todos os estilos. Eu mesma, por exemplo, não acho que tenho apenas um. Meus looks mudam de acordo com meus compromissos, meu humor, ninguém é igual o tempo todo. E é esse tipo de dica e truque que vou contar para os nossos seguidores. E, apesar dessa paixão por tendências, também me tornei cada vez mais consciente sobre como eu consumo. Isso passa por tirar uma peça do guarda-roupas quando entra uma nova, preferir as feitas com matérias-primas sustentáveis e também priorizar peças de qualidade, que duram mais. Se eu tivesse que listar alguns essenciais do guarda-roupas com certeza diria: camisa branca estruturada, um bom jeans reto, um blazer preto oversized, calça de alfaiataria e t-shirts lisas. Com esses itens, você monta looks muito versáteis!

Você é uma persona digital, mas como enxerga a relação entre moda e internet?

A persona digital da Renner Rennata – Foto: João Arraes, com direção de Alline Cury, edição de moda de Diogo Arruda, direção de arte de Diogo Ferreiras, produção executiva de Lisieux Hetzel Pereira e set design de Renata Henckel

Acho que dá para dizer com segurança que a internet como um todo aproximou as pessoas – ou, pelo menos, facilitou muito a nossa vida, né? Principalmente nesse momento delicado, a gente faz tudo pela internet: fala com amigos e família, se informa, treina online, faz comprinhas, paga boletos. Então, acho natural que a internet também seja o “lugar” onde buscamos inspiração e de maior contato com a moda, porque é onde as pessoas estão (sejam elas influenciadores digitais, aquela atriz que você ama ou a sua vizinha). Claro que a moda é viva, é feita para as pessoas de verdade, e o contato humano a internet não vai substituir. Mas acredito muito que podemos manter a cumplicidade, amplificar as trocas e as conversas através do digital.