Andy Warhol: ícone transformou o comportamento fashionista

O americano completaria 91 anos nesta terça-feira

by Beatriz Poletto
Foto: Reprodução/IMDb

Foto: Reprodução/IMDb

Como se vestir, quais lugares frequentar e como expor suas ideias para o mundo é um conjunto que denomina o que é a moda. O universo fashion é regido por comportamentos. Ao longo dos anos, foram vários movimentos – como os Teddy Boys, o Rockabilly, o Flower Power e os Hippies - que definiam o que de fato era considerado moda.

Nos anos 1950 e 1960, quem estava bombando na cena fashionista e cultural era Andy Warhol. O artista plástico completaria 91 anos nesta terça-feira (06.08) e, para homenageá-lo, contamos um pouco de sua história e mostramos como ele inspira a moda até hoje.

Veja a seguir:

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Ilustrador, cineasta e escritor. Com um diploma de artes plásticas, Warhol se formou em 1949 e se mudou para Nova York para se tornar um artista comercial. Sua própria técnica de pintura chamou a atenção da crítica: ele usava linhas de borracha e carimbos para criar seus desenhos. O americano também trabalhou para a Harper’s Bazaar. Pioneiro em inserir o design e o layout moderno em suas páginas, o título era a cara do artista em ascensão, que desenvolvia ilustrações para artigos e reportagens da revista.

Fotos: Arquivo Harper's Bazaar

Julho 1962 – Fotos: Arquivo Harper’s Bazaar

Fotos: Arquivo Harper's Bazaar

Dezembro 1960 – Fotos: Arquivo Harper’s Bazaar

Fotos: Arquivo Harper's Bazaar

Dezembro 1962 – Fotos: Arquivo Harper’s Bazaar

Fotos: Arquivo Harper's Bazaar

Julho 1958 – Fotos: Arquivo Harper’s Bazaar

Fotos: Arquivo Harper's Bazaar

Julho 1958 – Fotos: Arquivo Harper’s Bazaar

Fotos: Arquivo Harper's Bazaar

Junho 1963 – Fotos: Arquivo Harper’s Bazaar

Ao longo dos anos, Warhol mergulhou ainda mais entre suas pinturas e, em 1961, criou o conceito da Pop Art. As obras focavam na produção em massa e mostravam a repetição de objetos, como o icônico quadro de latas de sopa da Campbell. No universo da propaganda, Warhol conquistou os holofotes da América pela primeira vez. Então surgiram versões com a lata de Coca-Cola, aspiradores e até hambúrgueres.

O americano também pintou quadros de Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor Mick Jagger com o mesmo conceito, e recebeu inúmeros pedidos de encomendas de celebridades e socialites.

Foto: Reprodução/Instagram/@tate

Marilyn Diptych – Foto: Reprodução/Instagram/@tate

E como comentamos no início da reportagem, moda é comportamento: Andy Warhol frequentava o Studio 54 - que abriu em 1927 – como Salvador Dalí e Jean-Michel Basquiat. A boate era o auge da noite nova-iorquina. As mais famosas celebridades eram clientes assíduas. Seu foco era observar as pessoas ao redor para cada vez entender melhor o que as pessoas queriam.

Em 1964, Warhol abriu seu estúdio de arte, intitulado “A Fábrica”. O lugar logo se tornou um dos hotspots culturais da cidade, onde ocorriam expos de arte, festas, locação para seus filmes e mais.

Foto: Reprodução/IMDb

Andy Warhol e Lou Reed – Foto: Reprodução/IMDb

Foto: Reprodução/IMDb

Foto: Reprodução/IMDb

No universo fashionista seu trabalho virou eterno. Estilistas como John Galliano e Raf Simons fazem referência das obras do artistas em peças de roupas e acessórios.

Calvin Klein, 2018 - Foto: Reprodução/Now Fashion

Calvin Klein, 2018 – Foto: Reprodução/Now Fashion

Stephen Sprrouse, 2013 - Foto: Reprodução/WWD

Stephen Sprrouse, 2013 – Foto: Reprodução/WWD

Christian Dior, 2005 - Foto: Reprodução/WWD

Christian Dior, 2005 – Foto: Reprodução/WWD

Christian Dior, 2013 - Foto: Reprodução/WWD

Christian Dior, 2013 – Foto: Reprodução/WWD

Andy Warhol morreu aos 58 anos, em 1987, por complicações pós-cirúrgicas. Milhares de pessoas compareceram ao seu memorial, na St. Patrick’s Cathedral, em NovaYork. O americano fez parte da era dourada dos anos 1900 e eternizou seu nome com seu legado.

Leia mais:
Jean-Michel Basquiat: veja sete marcas que se inspiraram no trabalho do artista
David Bowie: o legado do artista na moda
“David Lynch: The Art Life” – fashion film da semana é pura arte