A designer com seus anéis com garras - Foto: Divulgação
A designer com seus anéis com garras – Foto: Divulgação

Por Cibele Maciet

Designer de joias e “antropóloga sexual”. É assim que Betony Vernon se define. A ruiva de 49 anos, expert na arte do prazer, tinha 18 quando trabalhava em um brechó em Tazewell, na Virginia (EUA), e, por influência da clientela que passava por lá – motoqueiros, punks e fetichistas -, começou a usar e colecionar espartilhos dos anos 1940 e a cultivar um gosto por tudo o que é sexual e voluptuoso.

Dois anos depois, e com estudos de História da Arte e Religião no currículo, a americana mudou-se para Florença, na Itália, onde começou a carreira de designer de joias.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Colar em forma de coleira - Foto: Divulgação
Colar em forma de coleira – Foto: Divulgação

No entanto, a partir de um encontro com um amigo suas criações tomaram um outro rumo: teve a ideia de lançar a Sado-Chic, linha composta por coleiras, chicotes, anéis e brincos feitos em ouro e diamantes. Com ou sem função erótica (o cetro, por exemplo, também servia de massageador das partes íntimas), as peças começaram a ser vendidas em lojas importantes, como Barneys, Liberty e Printemps.

Anel para massagem em prata - Foto: Divulgação
Anel para massagem em prata – Foto: Divulgação

“Não tinha ideia, na época, de que essa coleção me transformaria numa porta-voz do sexo”, conta a designer à Bazaar. “Percebi um vácuo no mercado de luxo dos anos 1990 a tudo o que era relacionado a sexo.” Mas logo após a tragédia de 11 de setembro de 2001, Betony percebeu que tinha uma missão em relação ao bem-estar íntimo das pessoas. ”

Comecei a educar as pessoas sobre o sexo e, para isso, criei sessões de atendimento a fim de desmantelar o tabu do prazer por meio do conhecimento do sexo e do nosso corpo. Elaborei consultas individuais, em duplas e em grupos, indicadas para pessoas que queiram expandir seus limites e prazer num ambiente seguro e luxuoso, o Eden, meu showroom boudoir em Paris”, explica.

Anel duplo para masturbação masculina - Foto: Divulgação
Anel duplo para masturbação masculina – Foto: Divulgação

Temas como zonas erógenas, bondage e habilidades sexuais começaram a ser explorados por meio de conversas, exercícios corporais e iniciação ao uso das joias eróticas de Betony. Com o movimento, a linha mudou de nome para Paradise Found Fine Erotic Jewelry Collection, e também de endereço. Betony escolheu o Marais, na capital francesa, como sua nova casa desde então.

Bracelete ligado com anel - Foto: Divulgação
Bracelete ligado com anel – Foto: Divulgação

As peças da designer ainda são todas feitas à mão na Itália, sendo algumas delas chamadas de jewels tools pela artista. “Cada joia é concebida a fim de glorificar os instintos humanos, com o intuito de atrair e excitar, além de trazer confiança e novas sensações, expandindo os horizontes sexuais daqueles que as usam e compartilham”, explica.

Anel com pluma de avestruz - Foto: Divulgação
Anel com pluma de avestruz – Foto: Divulgação

Grampos de mamilo e bolas para introdução na vagina em prata, anéis com pluma de avestruz para massagens eróticas, chicotinhos de madeira maciça, óculos de prata para vendar os olhos… os preços dos sexy toys de luxo, como são chamadas as peças de Betony, podem chegar até 5 mil euros. “A ideia é que a joia seja eterna, durável e de confiança”, afirma ela.

Leia mais:
Descubra qual é a joia ideal para cada decote de vestido de noiva
Os braceletes estão de volta: acessório vai fazer bonito no inverno 2019
Bulgari faz tributo a Andy Warhol e aos anos 1980