Verão 2020 – Foto: Divulgação

Quando a Dolce & Gabbana criou o projeto “Botteghe di Mestiere”, em 2012, na cidade italiana de Legnano, a ideia era formar talentos para perpetuar a vocação da marca para os requintados trabalhos manuais que dão o tom tanto nas coleções de prêt-à-porter quanto na alta-moda. De lá para cá, o número de ateliês só cresceu sem fazer alarde, mas o resultado faz barulho na passarela.

Verão 2020 – Foto: Divulgação

Além dos bordados coloridos inspirados no artesanato siciliano, a marca tem mostrado que exuberância também combina com simplicidade ao escolher a ráfia e o vime como materiais versáteis, daqueles que caem perfeitamente – desde um simples detalhe a peças extremamente sofisticadas, que são a cara da estação do sol. “Queríamos prestar homenagem à habilidade dos artesãos e ao amor que eles dedicam ao seu trabalho”, contam Domenico Dolce e Stefano Gabbana à Bazaar, sobre o ponto de partida da coleção verão 2020.

Verão 2020 – Foto: Divulgação

Esta não é a primeira vez que a dupla desafia seus artesãos a ultrapassar o óbvio, mas, com certeza, é a mais impressionante. Há sete anos, uma saia ampla de ráfia dava a pista de que a fibra têxtil vinda da palmeira podia virar muito mais do que sacos para transporte de frutas nas mãos dos criativos da marca italiana.

Verão 2020 – Foto: Divulgação

Para o verão 2017, o material foi parar em uma das sandálias, dialogando bem de perto com um tecido rústico com aspecto de juta mas com toque tão suave quanto da seda. Na coleção do verão 2019, os estilistas e seus artesãos deram um salto de criatividade e domínio de técnicas de tear e costura, começando pelo vestido em estilo camponesa feito em palhinha, aquela trama vazada que virou referência no mobiliário dos anos 1950 e 1970 e que também é conhecida como “palha de Viena” por causa do sucesso que fez na capital austríaca no século 19.

Verão 2020 – Foto: Divulgação

Foi a deixa para entrarem na passarela uma saia com franjas e um tailleur de ráfia. O retorno positivo dessas peças abriu espaço para um bloco inteiro dedicado a materiais naturais na coleção desfilada em setembro de 2019, em Milão. “Combinamos cores vivas e padrões tropicais com artesanato típico da ilha e materiais especiais, como ráfia e vime”, explica a dupla, referindo-se à clássica cestaria feita à mão na Sicília. “A Itália é rica em tradições artesanais que mudam de cidade para cidade, de vila para vila. Nosso país é uma fonte inesgotável de inspiração e habilidade artesanal que deve ser mantida viva”, acentua Domenico.

Verão 2020 – Foto: Divulgação

A maestria está, justamente, em buscar inspiração no artesanato para criar roupas e acessórios carregados de técnica, apelo emocional e desejo de moda. Difícil não pensar em extravagância criativa. Para o verão 2020, são 12 looks com modelagens variadas que misturam texturas como ráfia, corda torcida e fios de algodão tecidos em tear ou em crochê com acabamentos que vão do aspecto rústico ao encerado.

Verão 2020 – Foto: Divulgação

Sandálias e bolsas em vime completam a proposta. Mostra a “atenção que prestamos à construção de cada item, a busca constante pelo equilíbrio perfeito entre a harmonia das formas e a atenção aos detalhes”, completa Stefano. O resultado é couture e urbano ao mesmo tempo.