Desfile Juliana Jabour/Foto: Márcio Madeira

Por Sylvain Justum

Juliana Jabour pega o trem e viaja a Darjeeling, na Índia, para construir um inverno multiétnico e colorido, onde referências dos anos 20 conversam de perto com as dos 60´s. Coleção prática, antenada e fácil de usar, com apelo comercial na medida certa. De quebra, Juliana acrescenta alguns itens na wishlist da temporada.

Com cartela inspirada nas cores dos cenários locais, brilham o amarelo-açafrão e o magenta, em vestidos curtos delicadamente bordados e bem
ao espírito girlie da cliente da marca. Arrematados pelas golinhas Peter Pan, ficam comportados, mas com um charme retrô delicioso.

Dos móveis, Juliana empresta as texturas exageradas do tricô de desenhos étnicos – para ser usado em total look, mesmo – e do cintilar dos jacquards metalizados azuis.

Sobra ainda um tantinho de androginia pontuando os looks mais sessentistas, com camisas de gola fechada e cardigã de lurex. Repare nas pitadas certeiras de esporte nas calças jogging, nas parkas e nos tênis do momento, disfarçados de Oxford e com plataforma embutida. Melhor já entrar na fila, tem cheiro de hit.

Juliana fazendo o que sabe. Chic e naive, como diz um de seus bordados de inverno.

MELHOR LOOK: O de casaqueto de tweed com lurex azul, jogado nos ombros sobre camisa de gola abotoada até em cima, cardigã preto de lurex.  Uma pitada de masculinidade no universo tão feminino de Juliana

ACESSÓRIO: Já dá para sentir a fila se formando para comprar um dos tênis de plataforma embutida e cara de Oxford da coleção, mas também gostamos das luvinhas de couro rubber do primeiro look. Fetichismo em looks delicados, bom truque de styling