Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

por Luigi Torre

Neste verão 2015, Karl Lagerfeld retoma aos valores mais essenciais da Chanel, de formas bastante literais e com direito à protesto como entrada final – isca inevitável para as redes sociais. E nem precisava. As roupas, por si só, já davam conta da mensagem.

O que se vê neste Boulevard Chanel são mulheres de todos os tipos. Diversidade de estilos, que é tema recorrente em Paris (vide Lanvin e Céline), bem como se vê nas ruas. Aqui, com lembranças da moda dos fins dos anos 1960 e 1970, época em que Paris e do mundo fervilhavam com revoluções de todos os tipos.

Tem a trabalhadora com seus ternos de tweed de calça larga e fluida (desejo absoluto desde já) e jaquetas alongadas (silhueta importante nesta estação), a jovem estudantes com seus comprimentos mini, mix de estampas e cores, sapatos-sandália e bolsas carteiro, a tiracolo e “customizadas”, as mais sérias e conservadores, com seus looks comportados em branco e preto.

Coco Chanel sempre foi bastante libertária e revolucionária. Sua moda foi sempre pensada a partir de um ponto de vista essencialmente feminista. Por e para mulheres. Com olhar atento às mudanças sociais, oferecia a suas clientes o que havia de mais moderno em tempos culturais e comportamentais, sempre sob seu olhar elegantemente contemporâneo. Com este verão, depois de temporadas rendidos aos exageros pop do momento, Karl Lagerfeld retorna às origens, ainda que mantendo o apelo tão necessário à moda de hoje.

Em nossa galeria, confira looks do desfile que aconteceu nesta terça-feira (30.09), na temporada de verão 2015 de Paris: