No dia 4 de maio, ao pôr do sol de New York, o que se viu na passarela da Prada foi puro DNA. Da alfaiataria dos anos 70 aos conjuntinhos a lá 90, Miuccia nos fez viajar e relembrar sua trajetória, e desta vez não só Prada, mas também com toques de Miu Miu. A coleção, que se mantém fiel ao gosto de seus clientes, para nós, fashionistas, é uma aula de construção, técnica e sofisticação.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Com muito humor, Miuccia fez uma releitura de suas estampas gráficas e artsy, agora com efeitos de distorção, que combinadas às meias bordadas -para dar efeito óptico- revive a good vibe dos anos 1970, só que agora voltada aos milleniuns!

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O squad de modelos na passarela mostrou outro ícone da marca: a bolsa nos ombros -truque de styling que é assinatura da grife e que se soma aos bicos quadrados com pegada moderna, que Miuccia sempre faz e vira hit!

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um passeio pelos arquivos da marca nos remete à nostalgia, e aí sentimos falta da moda dos anos 2000. Mas hoje há uma geração altamente consumidora de mídias sociais que veem na coletânea de ideias da Prada um suspiro para ousar! Cores, jaquards e texturas são apresentadas harmonicamente em composições inteligentes e audaciosas. Ufa, ao final do desfile vem o alívio, quatro looks com os casacos, representantes fortes do DNA da grife, e eles surgem sem excessos! Respira fundo, tem sempre Prada pra todas as idades!

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação