Busca Home Bazaar Brasil

Rocio Canvas: grife curitibana conquista público com moda artsy e atemporal

Estilista Diego Malicheski fez em 2018 seu terceiro desfile na Casa de Criadores, primeiro fora do Projeto LAB do evento

by Renata Brosina
Rocio Canvas, verão 2019 - Foto: Divulgação

Rocio Canvas, verão 2019 – Foto: Divulgação

Diego Malicheski é dessa turma de designers jovens, cheios de energia e com uma vontade absurda de criar. “Minhas coleções costumam ser grandes, mas com quantidade enxuta de cada peça”, diz o curitibano de 27 anos, fundador da Rocio Canvas, uma neolabel que está no seu segundo ano de vida.

Nela, o estilista explora o design atemporal, os materiais de altíssima qualidade e acabamentos impecáveis. “Como tive experiências com criação de alfaiataria, tenho certas manias de usar alguns tipos de entretela, viés de limpeza e revel. Uma das coisas com as quais me preocupo na hora de fazer a roupa é saber como ela ficaria do avesso”, conta.

A modelagem, como consequência da vivência em ateliês e marcas de tailoring, é outro fascínio de Diego. Ele brinca com nervuras, recortes e texturas, tudo em shapes amplos, confortáveis e contemporâneos. Nada é colado ao corpo.

Em seu terceiro desfile na Casa de Criadores, primeiro fora do Projeto LAB do evento, ele já vem despontando em uma proposta seletiva entre o público moderno e apreciador de estéticas clean.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Rocio Canvas, verão 2019 - Foto: Divulgação

Rocio Canvas, verão 2019 – Foto: Divulgação

Malicheski já procurava formas de entrar em contato com a criação de moda desde o tempo da faculdade de design gráfico. “Tive uma marca experimental de camisetas pretas com serigrafia, que foi o meu início nessa busca por desenvolver algo que tivesse a minha identidade”, relembra.

Após o fim da graduação, ele fez cursos técnicos de modelagem e entrou para o seu primeiro estágio em uma confecção de tricô. “Foi nesse período que comecei a entender sobre produção industrial, qual é o papel de estilista…”, conta ele. “Foi paixão à primeira vista.”

Daí para frente, ele entrou para outras equipes de estilo locais, passando pela marca Lafort, até chegar à Rocio Canvas. “A label nasceu no meu trabalho de conclusão do curso de moda e eu estava em uma experiência de desenhar para outras marcas, sentia que tinha de ser uma marca com a minha identidade, mas não necessariamente com meu nome”, explica.

Rocio é em homenagem ao segundo nome de sua mãe e Canvas vem de tela em inglês. Para o aquariano, o tecido usado para absorver as obras de pintores é uma pitada do universo artístico que ele busca. “Acredito que o DNA permeia muito a arte. A minha consumidora vive nessa atmosfera e tento refletir isso nas peças, seja me inspirando em algum artista ou na sua estética, forma, cor ou textura.”

Rocio Canvas, verão 2019 - Foto: Divulgação

Rocio Canvas, verão 2019 – Foto: Divulgação

Ao mesmo tempo que é possível se inspirar em nomes como Henry Moore para trazer o conceito de flâneur, é visível a sua preferência pelo minimalismo. “Como o escultor é conhecido por fazer obras externas, pensei em levar essa ideia para o que a mulher Rocio Canvas usaria saindo de casa também, vivenciando a cidade.”

Em seu verão 2019, Diego trabalhou com sobreposições e certa leveza, apresentou capas de chuva, casacos largos, camisaria ampla, com algumas pinceladas de estamparia abstrata: “Há uma forma de enxergar os desenhos como se fossem galhos de árvores vistos do chão para o céu”, diz.

Isso tudo se aplica em peças de estética limpa, remetendo a sua tão desejada atemporalidade. Há também vestidos, itens que considera importantes no quesito versatilidade. “É superfeminino e fácil de vestir. Você pode usar com calça, com tênis, com salto. Na mesma coleção, posso trabalhar modelos em shapes retos e outros com babados”.

Com uma estrutura enxuta, ele trabalha com uma assistente e tem algumas costureiras como suas aliadas. “Meu ateliê funciona como um coworking no centro histórico de Curitiba. É incrível ter essa experiência de trocar ideias com quem está passando pelo mesmo processo de organização de marca.”

Rocio Canvas, verão 2019 - Foto: Divulgação

Rocio Canvas, verão 2019 – Foto: Divulgação

Além do próprio showroom e e-commerce, Diego vende em algumas multimarcas, como as paulistanas PAIR e Void, algumas no Rio de Janeiro e na Impelle, em Curitiba. “É um sonho ter um espaço físico onde posso explorar toda a atmosfera da marca e transmitir isso para a minha consumidora. Mas vou deixar isso acontecer de forma orgânica. É legal respeitar esse movimento. A moda é uma surpresa”, diz. E é mesmo!