Por Sylvain Justum

O maximalismo pegou a Sacada de vez. O verão da grife – outra estreante no Fashion Rio – dá sequência ao inverno cheio de metalizados e mergulha na opulência, abusando de brilhos, prints exagerados e texturas.

A imagem é bem feminina, retrô, até, um ladylike sofisticado, de saias e vestidos evasês, barriga de fora e calças cigarretes.  Apesar de a cartela ser essencialmente sóbria – predominam pretos, beges e terrosos -, pontuada por splashes elétricos vez ou outra, nada aqui é básico. Tudo é uma questão de atitude.

Arabescos, plaquinhas douradas fazendo as vezes de franjas, metalizados envelhecidos e cristais all over tratam de acender o mais tímido dos looks, e relevos como o ótimo patchwork de jeans ou os plissados de chiffon colorido baixam a pompa da coleção.

A Sacada está em sintonia com a imagem global da mulher, o que é um enorme ponto a favor, e sua moda bem-cuidada tem potencial para circular em qualquer grande metrópole. O truque é subir no salto e manter uma atitude nonchalante. Consegue?

O melhor look: São um charme os combos de camisa de seda transparente com shorts de todo tipo. Bazaar adora, em especial, o look de camisa pink com golinha de couro laranja e short com esferas azuis desfilado por Daiane Conterato.

O Acessório: A bolsa de palha com placas de metal dourado aplicadas, carregada como clutch, debaixo do braço. Rusticidade urbana.