A marca de moda praia Trya foi uma das nove que desfilaram no 2º dia do 51º São Paulo Fashion Week – Foto: Divulgação

Por Rodrigo Yaegashi, Carol Hungria e João Victor Marques, com colaboração de Evelyn Gross e Larissa Romano

Nesta quinta-feira (24/06), aconteceu o segundo dia da 51ª edição do São Paulo Fashion Week, recheado de marcas incríveis do cenário da moda brasileira.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Nove marcas seguem o fio do evento, que promete movimentar a internet nos próximos dias. Veja abaixo um resumo de cada apresentação:

Igor Dadona

Quanto tempo você passou sozinho nesta pandemia? E como manteve (ou não) a saúde mental? Igor Dadona, primeiro estilista a se apresentar no 2º dia do SPFW, questiona seus consumidores sobre comportamento durante o isolamento social evocando o universo navy, em alto mar, com calmarias e tempestades que representam os nossos sentimentos no último ano. A moda é easy, evidenciada pelos conjuntinhos com estampas como os quadriculados, os poás e os florais. (Por Carol Hungria)

Ronaldo Silvestre

“A máquina de costura é uma arma de transformação social”, lembra Ronaldo Silvestre sobre o propósito das suas coleções: de ajudar pessoas em vulnerabilidade social. Sempre com seu viés sustentável, o estilista usa resíduos têxteis de algodão para transformá-los em vestidos soltinhos, conjuntos cropped e os melhores macacões utilitários desfilados até agora na semana de moda paulistana. (Por Carol Hungria)

AZ Marias (Projeto Sankofa)

Nzinga da Matamba, heroína nacional em Angola, foi uma rainha guerreira que certamente representa a consumidora que Cintia Felix, da AZ Marias, imagina. Inspirada nesta personagem histórica, a estilista resgata bandeiras de países africanos e também várias estampas étnicas para criar uma moda descomplicada com t-shirts, bombers e camisas-desejo para quem ama uma print. (Por Carol Hungria)

Naya Violeta (Projeto Sankofa)

Sob o comando da estilista Naya Violeta, a marca Naya Violeta estreia no line-up do SPFW a partir do Projeto Sankofa. A coleção de estreia da estilista goiana recebe o nome de “Foguete” e traz conexões diretas com o sagrado dos terreiros tanto nas cores quanto nas formas. Com muita fluidez nos tecidos, as roupas têm tons terrosos que fazem alusão ao fogo do olhar e da vida, transmitido também nos acessórios em cor de ouro, que todos os looks receberam. “Falar de vida é muito importante neste momento que a humanidade enfrenta, principalmente neste tempo de festas de fogo – que é o mês de junho”, resume a diretora criativa Naya Violeta, em entrevista pós-desfile. (Por João Victor Marques)

Isabela Capeto

Isabela Capeto sabe bem o que significa recomeçar, reconstruir e ressignificar, a marca carioca que em 2018 sofreu com um incêndio em seu ateliê retorna ao SPFW nº51 com a coleção inspirada na flora, em especial naquelas não convencionais que podem nos nutrir. Conhecidas por Pancs, as plantas alimentícias inspiram os famosos bordados e prints DNA da label, tudo em uma silhueta setentinha que é a década da vez na moda. Destaque para as formas amplas, fáceis e combinadas com bijoux de contas maxi e claro a trilha de funk carioca que embalou o desfile em vídeo. (Por Rodrigo Yaegashi)

Martins

“Praticamente, uma esponja”. É assim que Tom Martins, o diretor criativo da marca Martins que também desfilou neste 2º dia de SPFW resume sua coleção que mistura tendências e estilos totalmente desconectados. Trabalhando com uma moda sem gênero, a proposta ousou misturar o kindewhore, que são as peças com aparência infantil que bombaram nos anos 1990 com Courtney Love, com referências do filme “Laranja Mecânica”, de Kubrick, nas estampas, cores e formatos gigantes das roupas. Os gatos do estilista – grandes parceiros de quarentena – também foram lembrados por meio das garras representadas nas enormes unhas e milhares de anéis. O sapato de plataforma feito em estampa xadrez é o ponto alto dos looks. (Por João Victor Marques)

Modem

O verão 2022 da Modem, do estilista André Boffano, apresentado nesta quinta-feira (24.06) na 51ª edição do SPFW, reverência a criação e resgata a essência da label, que é a absorção das vibrações que ocorrem na atualidade. Em contraponto à atemporalidade das peças vindas da base sólida da alfaiataria característica da marca, a coleção ganha modernidade na desconstrução por meio de recortes e fendas que se deslocam pelo corpo. Arte e moda se fundem com referências artsys, arquitetônicas e puras da mente criativa do designer, que inova em cartela de cores ampla semelhante a um arco-íris de esperança, mesmo em tempos sombrios. Bravo! (Por Rodrigo Yaegashi)

Tryia

Uma das maiores representantes do feminismo mundial e latino, Frida Kahlo é sempre uma ótima escolha de inspiração e que, na nova coleção da marca de moda praia Tryia, não poderia ser melhor. A praia clássica da label bebe nas cores fortes da artista, na beleza das grossas sobrancelhas marcadas da ativista e nos icônicos arranjos florais decorativos da mulher mexicana. Pink’s e roxos explodem nas estampas e bordados dos maiôs, biquínis e vestidos ótimos tanto para curtir o escapismo natural do mar quanto para circular nas ruas das grandes metrópoles. Com narração impecável da apresentadora Astrid Fontenelle, a apresentação virtual da marca dá vida e voz ao sentimento de liberdade que tanto almejamos. (Por Rodrigo Yaegashi)

Another Place

Para fechar o 2º dia do SPFW, a marca Another Place entregou um fashion film que insere a coleção “Unlock” em um ambiente escapista no icônico Infini Bar, no Largo do Arouche, em São Paulo. Feita em colaboração inédita com a marca de cerveja Becks, a linha celebra o hedonismo e a fantasia do passado e do futuro em tons diversos de preto e verde, somados ao couro e peças coladas ao corpo – já conhecidas pelo público que consome a marca. “Cada peça é um convite à liberdade individual”, diz Rafael Nascimento, diretor criativo da marca. (Por João Victor Marques)