Lifting de sobrancelhas: três procedimentos para levantar o rosto

Cada situação exige um procedimento específico

by Marcela Palhão
Foto: Arquivo Harper's Bazaar

Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Uma das consequências do envelhecimento é queda natural das sobrancelhas, o que pode gerar um aspecto de cansaço e comprometer a jovialidade do rosto. Segundo a cirurgiã plástica Juliana Sales, existem dois fatores que causam esse feito: a queda da região frontal (testa) e o excesso de pele nas pálpebras. Por isso, existem diferentes tratamentos que promovem um lifting de sobrancelha e que devem ser escolhidos de acordo com as necessidades de cada pessoa.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Entre eles, os mais conhecidos são a aplicação de toxina botulínica (o botox), a blefaroplastia (plástica de pálpebras) e o uso de fios de sustentação. Conheça um pouco de cada um deles abaixo e procure um cirurgião para definir qual a melhor opção para sua necessidade:

Foto: Arquivo Harper's Bazaar

Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Botox
A aplicação de toxina botulínica é o procedimento mais conhecido para suavizar linhas de expressão e também pode ser usado para lifting de sobrancelhas. Com o uso de um anestésico tópico, o botox é aplicado após avaliação mímica facial e marcação dos pontos da musculatura a serem tratados. Segundo Juliana, o procedimento, em si, dura em torno de 20 minutos, mas a preparação – que inclui conversa com o paciente, análise facial, documentação fotográfica e a marcação – deve ser considerada quando se pensa em tempo.

“A toxina age paralisando a musculatura, mas, para um efeito mais natural, mantemos a movimentação. A duração varia de quatro a seis meses, de acordo com o paciente, estilo de vida, etc”, afirma a médica. O procedimento não é indicado para gestantes ou pacientes com infecção no local a ser tratado e não existe uma idade certa para se iniciar, mas Juliana indica bom senso e a avaliação de um profissional dermatologista ou cirurgião plástico. Os valores podem variar entre R$ 1.500 e R$ 2.000.

Fios de sustentação
“O procedimento é iniciado com anestesia local, análise facial e marcação do local a ser tratado. Após a colocação dos fios, eles são tracionados, permitindo o ajuste da suspensão e simetrização dos lados. Existe uma ação mecânica (tração) e uma química, já que os fios são compostos de ácio polilático, o qual leva a formação de colágeno. O paciente pode voltar às atividades normais no mesmo dia”, explica Juliana sobre o procedimento.

Todo o processo pode demorar até duas horas e, como o fio é reabsorvível, dura até um ano e meio. “A duração do resultado é variável e depende do estado inicial do paciente, de fatores externos e da resposta individual de cada um”, afirma a cirurgiã.

Esse tipo de lifting é indicado a pacientes com flacidez facial de leve a moderada, mas depende da avaliação do médico, que levará em conta a queixa, exames físicos e a expectativa de cada um. O valor pode variar dependendo do número de fios usados e de cada médico.

Blefaroplastia
Entre os tratamentos citados, esse é o único que precisa ser feito no hospital, sob anestesia local e sedação. “O procedimento permite a correção do excesso de pele palpebral (superior e/ou inferior) com a retirada de bolsas palpebrais, quando necessário”, explica Juliana.

O procedimento demora cerca de três horas e tem uma duração variável, que depende do estado do local antes da cirurgia, idade do paciente, cuidados preventivos e estilo de vida. Segundo Juliana, a faixa etária que mais realiza a cirurgia é entre 40 e 50 anos. Ela também lembra que não há contraindicações, desde que haja indicação de um especialista e o paciente seja liberado para cirurgia por um cardiologista.

Leia mais:
Cinco mitos e verdades sobre o peeling sem ácido
Dossiê das olheiras: como tratar e se livrar delas
Aprenda a escolher o tom certo de produtos para sobrancelha