Nutrição com harmonia: conheça o trabalho de Ana Maria Murbach
Foto: Acervo pessoal

Há poucas coisas tão bonitas no mundo como uma pessoa verdadeiramente apaixonada e entusiasmada com sua profissão. De qualquer área que ela seja, ver alguém falar sobre seu trabalho com a crença de que ele faz a diferença no mundo – ou no dia a dia de alguém – sempre emociona. Foi assim que me senti durante toda a conversa com Ana Maria Murbach. Apesar de termos nos falado apenas por telefone, é possível sentir sua empolgação ao falar de alimentação, metabolismo e o poder dos alimentos em mudar todos os aspectos da vida de uma pessoa. Porque eles têm esse poder.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

“Cresci com uma alimentação saudável, percebia que quando me alimentava bem, meu dia rendia melhor e sempre fui encantada com a natureza. Foi daí que busquei mais informações e então a faculdade. Mas tenho uma gratidão inenarrável à doutora Vania Assaly, minha mentora que me ensinou tudo o que sei sobre metabolismo bioquímico”, conta a nutricionista, pós-graduada em medicina integrativa e nutrição funcional materno-infantil.

O que mais encanta Ana quando o assunto é alimentação saudável é o papel que a nutrição tem em harmonizar nosso organismo, corpo e mente. “Acredito que o alimento traz coesão para nossa vida. Acho muito especial como, com as escolhas adequadas para cada momento, podemos abastecer nosso corpo com todos os nutrientes que ele precisa e fazer com que decisões na nossa vida fiquem mais fáceis e que nossa alma tenha um corpo saudável para se expressar”, explica.

Hoje, a nutricionista presta atendimento clínico, o que descreve como a organização de uma casa: “É como se fizéssemos uma faxina, trocássemos a roupa de cama, jogássemos fora o que não precisamos mais. Criamos uma condição para que cada um possa desabrochar sua melhor versão. Porque o mundo precisa que as pessoas sejam o melhor de si.”

Seu trabalho

Diversas questões podem levar uma pessoa a procurar o auxílio de um profissional, mas, para Ana Maria, os sintomas são apenas sinais de uma falta de equilíbrio. “Há uma gama gigante e pessoas têm sintomatologias diferentes. Mas o corpo só está expressando que algo não vai bem. Dor nas costas, aftas, distensão abdominal, entre outros, são apenas sintomas físicos de alguma desarmonia do organismo. Precisamos tratar a causa, não só um sintoma. Por isso, digo que nosso trabalho é uma jornada”, explica.

Para ela, tratar sintoma é importante – afinal, ninguém precisa viver com desconforto -, mas desde a primeira consulta, Ana Maria busca entender o estilo de vida, o metabolismo e os objetivos de cada um. “Faço um bullet point e vejo o que precisamos trabalhar primeiro. Organizo a alimentação daquela pessoa para tirá-la do quadro de crise e, ao longo das consultas, vamos traçando estratégias alimentares para que o corpo volte à harmonia”, explica.

A nutrição integrativa é um verdadeiro tratamento multidisciplinar, já que uma mudança de estilo de vida pode melhorar questões de ansiedade e insônia, além da questão física. E esta trajetória deve ser tranquila e normal, afinal, como Ana Maria diz, alimentar-nos é uma das coisas que mais fazemos ao longo da vida.

“O diferencial desta vertente é ter empatia e harmonia. Não existem metabolismos iguais, por isso é preciso enxergar cada indivíduo como metabolismo diferentes. É preciso olhar que cada um tem um estilo de vida, preferências alimentares, histórico familiar e questões genéticas. Trabalho com uma alimentação que se encaixe na individualidade de cada um. O metabolismo reage de formas diferentes. Acho isso bonito, é o que me encanta”, explica.

Estilo de vida

“Precisamos tomar cuidado com a palavra dieta. Se você fez várias dietas, o que é algo muito restritivo, você ainda não entendeu como seu metabolismo funciona. Levar alimentação saudável como estilo de vida é extremamente importante. Junto com isso, conseguimos entender que existem estratégias nutricionais para cada momento que você está passando. Como a mulher, por exemplo, que cada semana é diferente da outra, metabolicamente falando”, analisa Ana Maria.

A nutricionista explica que a visão de uma mudança de alimentação como estilo de vida ajuda a criar equilíbrios e a respeitar mais o seu organismo. Como, por exemplo, o dia do pé na jaca. Ao olharmos para um estilo de vida equilibrado, este tipo de dia não faz sentido. Afinal, sentir vontade de comer um doce e encaixá-lo aos seus hábitos diários é muito mais saudável do que acumular vontades e extrapolar o consumo de açúcares e gorduras saturadas em um só dia.

Entre os benefícios em adotar um estilo de vida mais condizente com seu metabolismo, Ana Maria cita a compreensão de cada organismo, aumento de energia, melhora de sono, intestino regulável, menor distensão abdominal, entre outros. Mas ressalta que os resultados variam entre diferentes pessoas.

“Percebo que as pessoas se acostumam a se sentir mal. Ter dor de cabeça, enxaqueca, gases e achar normal. Mas não, elas precisam parar de se adaptar a coisas ruins. Pode ser comum, mas não é normal”, acrescenta a especialista. “Quando vamos desbloqueando essas vias, fazendo com que o corpo trabalhe em harmonia, as pessoas começam a se sentir melhor. É aí que digo: ‘Seja bem-vinda, essa é você’. É muito bonito, me emociono ao ver pessoas que se cuidam e, consequentemente, tornam-se a melhor versão de si.”

Quando questionada que conselho daria a quem está a um passo de fazer esta mudança, Ana Maria novamente encanta pela simplicidade e paixão por sua profissão. “Cuidar de você nunca é um investimento que não vale a pena. Olhar para você nos pontos que precisa melhorar e o que tem de positivo vale a pena, porque você consegue desabrochar sua melhor versão. É um presente para o mundo você estar aqui na sua presença e capacidade total. Então cuidar de si é uma coisa sempre bem-vinda, em todos os sentidos. O nutricional é apenas um deles”, finaliza.