Foto: Fernanda Fehring

Por Fernanda Fehring

Havia anos eu sonhava em conhecer o Hotel EOLO. Talvez fosse o hotel que mais quisesse conhecer no mundo. De verdade. Parte por estar na Patagônia, uma região que adoro, parte pela proximidade com a extraordinária geleira Perito Moreno, mas, principalmente, pela localizaçã0 do próprio hotel, que é absolutamente magnífica.

 

Foto: Fernanda Fehring

As fotos da propriedade impressionam. E, ao contrário de muitos lugares que nos fascinam nas telas ou páginas de revistas, mas nos frustram ao vivo, aqui o que acontece é o oposto. No EOLO, a realidade supera em muito as expectativas. A beleza de sua paisagem é potente, intensa, arrebatadora. O tipo de cenário que provoca sentimentos que só a Patagônia consegue despertar.

Foto: Fernanda Fehring

Situado entre o deslumbrante Lago Argentino e a Cordilheira, e cercado pela dourada estepa patagônica, tudo neste local parece ter sido planejado e executado com ajuda divina. Não à toa o hotel foi batizado de EOLO – o Deus do vento – uma clara menção aos ventos que sopram forte em um dos pontos mais austrais da América do Sul.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

Sentir-se perto de Deus – seja ele qual for – é o que me vem primeiro à cabeça quando penso na minha experiência neste lugar.

El Calafate

Situada a 2.761 km de Buenos Aires, a região de El Calafate surpreende por sua beleza. Localizada às margens do Lago Argentino, de belíssimas águas azuis celeste, e o terceiro maior lago do país, a cidade tem como principal atividade o turismo, e é o ponto de partida para vários passeios pela região.

Foto: Fernanda Fehring

Posicionada quase na fronteira entre Chile e Argentina, é colada ao Campo de Hielo Sur, a maior massa de gelo do mundo, atrás apenas de Groenlândia e Antártica. Por sua localização estratégica, é a base perfeita para explorar as formidáveis geleiras da região – e são muitas, e todas elas absolutamente magníficas.

Foto: Fernanda Fehring

A mais famosa, a Geleira Perito Moreno, é um dos cartões postais mais conhecidos da Argentina, e um dos locais mais visitados do país. Mas há também as incríveis gelerias Upsala e Spegazzini, essa última uma massa de gelo com paredão de impressionantes 70 metros de altura.

Foto: Fernanda Fehring

Como muitos outros lugares na Patagônia, El Calafate é uma cidade que só funciona de outubro a maio, permanecendo quase fechada durante os rigorosos meses de inverno. Durante este período, grande parte da população se muda para o norte do país, ou sai em viagem mundo afora.

Foto: Fernanda Fehring

O hotel

Localizado entre El Calafate e o Parque Nacional Los Glaciares, o hotel está situado em uma estância fascinante, dentro de uma área de 10 mil acres, na região onde os primeiros imigrantes europeus e creole se estabeleceram.

Foto: Fernanda Fehring

A propriedade, situada no deslumbrante Vale La Anita, entre o Cerro Frias e o Lago Argentino, foi erguida há 17 anos por Juan Jose Drago com belo projeto de Ernesto Bustillo. Este último, neto do famoso arquiteto Armando Bustillo, autor de projetos icônicos dos hotéis Llao Llao e Correntoso, no norte da Patagônia.

Foto: Fernanda Fehring

Sua estrutura conta com um spa, um restaurante e um bar, uma varanda com vista para o Lago Argentino, belos salões e um assador. Todos os cômodos da propriedade têm enormes janelas de vidro, que funcionam como molduras para o panorama da cordilheira.

Foto: Fernanda Fehring

A propriedade tem seus próprios cavalos para uso dos hóspedes, que, com as vacas da estância, passeiam livremente pelas terras da estância.

Foto: Fernanda Fehring

Acomodações

Os 17 quartos do hotel são muito confortáveis e foram projetados para que os hóspedes possam apreciar o cenário de dentro do conforto de seus quartos. Poltronas aconchegantes, posicionadas de frente para enormes janelões de vidro, convidam à contemplação da paisagem admirável da estância e a vista para a estepa patagônica, a cordilheira ou o Lago Argentino.

Foto: Fernanda Fehring

A decoração é toda feita em tons claros e com móveis antigos – colecionados pelos donos do hotel ao longo dos anos, e têm uma pegada típica de estância do sul do país. As camas são excelentes, os quartos silenciosíssimos e bem escuros, graças a blecautes potentes – o que garante um sono regenerativo de verdade.

Foto: Fernanda Fehring

Todos os quartos têm cama king size e são divididos nas categorias superior rooms – com 37 metros quadrados e vista para o Lago Argentino ou para a cordilheira, e premium rooms – de 46 metros quadrados e vista limpa para os mesmos cenários. Os 2 corners rooms são os maiores de todos, com quase 50 metros quadrados e dois janelões – que trazem para dentro do ambiente toda a imensidão do cenário ao redor.

Foto: Fernanda Fehring

Os quartos contam com wifi e não têm televisão, já que o propósito do hotel é incentivar a conexão dos visitantes com a fantástica natureza de seu entorno.

Foto: Fernanda Fehring

Gastronomia

Um dos grandes trunfos do EOLO é, sem dúvida nenhuma, sua gastronomia. Como comemos bem durante nossa estadia por lá! Sendo parte do selo Relais et Châteaux, que tem como um de seus pilares oferecer excelentes experiências gastronômicas, o hotel superou – e muito! – nossas expectativas.

Foto: Fernanda Fehring

A começar pela beleza do restaurante, com decoração clássica e muito aconchegante, a vista de tirar o fôlego de cada uma das mesas – todas posicionadas estrategicamente para tirar o máximo de proveito do cenário – cada refeição por lá se transforma em um verdadeiro espetáculo.

Foto: Fernanda Fehring

A carta, assinada pelo chefe Juan Pablo Bonaveri, é excelente e traz especialidades locais executadas à perfeição – como o cordeiro patagônico que degustamos em nossa primeira noite no hotel. A provoleta de entrada já nos deu pistas sobre o talento do chef, mas o cordeiro (o melhor que já comi na Argentina), foi o destaque absoluto de tudo o que provamos.

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Atividades

O hotel oferece atividades dentro da estância, como cavalgadas e passeios de 4×4, e há também uma tirolesa para os mais aventureiros. Na parte gastronômica, o hotel oferece degustação de vinhos argentinos dentro de sua charmosa adega.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Mas a grande atração de El Calafate é, sem dúvida nenhuma, a geleira Perito Moreno e há uma gama de atividades possíveis para se fazer por lá. A mais comum é a observação feita em seus deques de madeira de frente para a geleira, mas é possível também fazer passeios de barco pelo lago (para observar a geleira mais de perto) e até um mini trekking sobre o enorme bloco de gelo – uma experiência realmente incrível.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

 

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

Outras opções incluem cruzeiros para conhecer as geleiras Upsala e Spegazzini, com direito a refeições e drinks a bordo, e visitas à Estância Cristina, uma bela propriedade de onde se pode observar as geleiras de muito perto.

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

A equipe

A equipe do hotel é gentil e profissional e nos recebeu com muito carinho e atenção. O padrão de serviço do Hotel EOLO é alto e os preparativos para receber os hóspedes já começam antes da chegada ao hotel, com a ajuda para reservar transfers, passeios e atividades.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

Uma vez no hotel, os colaboradores tomam conta de todos os preparativos para as expedições dos hóspedes e auxiliam com qualquer tipo de cancelamento ou emergência que possa ocorrer. Uma assistência que garante que o visitante consiga aproveitar ao máximo as experiências do local, mas também verdadeiramente relaxar.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

Comentários

Eu já sabia que uma visita ao EOLO seria algo especial, mas, sinceramente, não imaginava o quanto. O hotel é simplesmente extraordinário e as atividades da região são fantásticas. Mas o que não esperava mesmo, era presenciar algo tão magnífico durante nosso primeiro dia por lá – já que tivemos a sorte de assistir a um pôr do sol que foi dos espetáculos da natureza mais bonitos que já vi.

Foto: Fernanda Fehring

 

Foto: Fernanda Fehring

Esta região da Patagônia é famosa por pores do sol de capotar, mas mesmo os funcionários do hotel ficaram fascinados com o show que assistimos. Foi algo simplesmente de tirar o fôlego.

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

Agradeço à equipe do hotel pelo convite e pela estadia inesquecível. E agradeço aos Deuses (principalmente ao do vento) por me trazer a esse lugar e me mostrar, mais uma vez, a natureza fantástica da Patagônia. Muito obrigada EOLO, e até a próxima!

Foto: Acervo pessoal/Fernanda Fehring

EOLO Patagônia’s Spirit

Ruta 11 km 23
Z9405
El Calafate, Santa Cruz
Argentina

www.eolopatagonia.com
@eolo_patagonia

@fernandafehring é formada em Hotelaria, Gastronomia e Turismo pela Universidade de Surrey, na Inglaterra, e em Cozinha pela École Le Cordon Bleu, de Paris. Foi expatriada por 18 anos, morando em países como Inglaterra, Alemanha, China, França e África do Sul. Mas é no Rio de Janeiro que Fernanda se sente mais feliz. Formada pela McQueens de Londres, Fernanda teve um ateliê de flores durante seis anos no Rio. Trabalha atualmente como curadora de viagens e colunista, e sua grande paixão são as viagens de natureza e de isolamento. País preferido no mundo? África do Sul. Viagem dos sonhos? Alasca.