Amir Slama prepara nova marca de moda praia

Estilista ganhou fama por dar bossa urbana ao beachwear e transgredir modelagens

by Silvana Holzmeister
Naomi Campbell em 2005, com maiô de sua collab com a Rosa Chá por Amir Slama - Foto: Getty Images

Naomi Campbell em 2005, com maiô de sua collab com a Rosa Chá por Amir Slama – Foto: Getty Images

Quando o paulistano Amir Slama criou a Rosa Chá, há três décadas, o cenário da moda praia brasileira era bem diferente do atual. Para começar, São Paulo não era referência no setor. Mesmo assim, ele enxergou uma oportunidade de negócio, foi em frente e criou seu próprio espaço. “Eu fazia as coleções e a Riva (sua esposa) vendia”, recorda.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Comandando a marca que leva seu nome desde 2013, ele agora passa a limpo alguns dos momentos mais empolgantes de sua trajetória e prepara novas ações para 2020, unindo passado, presente e futuro. Situada em um nicho de beachwear premium, a atual grife dá destaque para a linha sob medida, que pode custar até cinco vezes mais do que uma peça simples. “São clientes que, por exemplo, vão se casar na praia ou celebridades, como Anitta, Iza e Jojo Todynho, que necessitam de algo especial”, conta.

Amir Slama, verão 2016 - Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Amir Slama, verão 2016 – Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Outro sucesso tem sido o masculino, que traz collabs com influenciadores, como o stylist Rapha Mendonça. No final de dezembro, Slama lança sua segunda marca, a South, focada em itens mais simples. “Mas sem perder qualidade, design e tecnologia”, avisa.

Lea T abre o desfile de Amir Slama na SPFWN47 - Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Lea T abre o desfile de Amir Slama na SPFWN47 – Foto: Divulgação/Agência Fotosite

O resgate de sua trajetória começou em 2018, com a reedição da icônica estampa de caju, lançada originalmente para o verão 2000, em homenagem a Carmen Miranda. Em outubro de 2019, fez desfile comemorativo no Fashion Resort. Encerrando os festejos, ele prepara uma retrospectiva para 2020, no MuBa, o museu da faculdade Belas Artes, em São Paulo.

Amir Slama, SPFWN46 - Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Amir Slama, SPFWN46 – Foto: Divulgação/Agência Fotosite

A grande contribuição de Slama para a moda praia brasileira passa pela desconstrução da modelagem clássica do biquíni. “Comecei a trabalhar o sutiã, que até então parecia esmagar os seios.” Depois, investiu em detalhes que valorizassem o abdômen e, então, o bumbum, recortando, dobrando e, literalmente, invertendo o corte em triângulo.

Amir Slama, SPFWN45 - Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Amir Slama, SPFWN45 – Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Foi essa sacada que deu destaque à Rosa Chá por Amir Slama, inclusive na passarela da semana de moda de Nova York. Em 2006, veio a associação com o grupo Marisol e, três anos mais tarde, ele deixou definitivamente o cargo de diretor criativo.

Amir Slama, SPFWN45 - Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Amir Slama, SPFWN45 – Foto: Divulgação/Agência Fotosite

“Não pensava em trabalhar mais com moda, mas então surgiu o convite da C&A para uma coleção-cápsula”, explica Slama, que, na sequência, começou a perceber uma mudança no perfil do consumidor e a possibilidade de construir outra marca, com estrutura menor e perfil colaborativo, porém, mantendo o trabalho manual que deu o tom no passado.

Amir Slama, SPFWN42 - Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Amir Slama, SPFWN42 – Foto: Divulgação/Agência Fotosite

Leia mais:
Sustentabilidade, reuso e inovação: tendências para o verão
Amir Slama comemora 30 anos de carreira no Fashion Resort
Cinco tendências de beachwear para curtir o verão no hemisfério Norte