Fashion Code: uma nova maneira de pensar e consumir moda

Bel Humberg retorna ao mercado para apresentar projeto inédito

by redação bazaar
Foto: Carlos Sales, com edição de moda Rodrigo Yaegashi

Foto: Carlos Sales, com edição de moda Rodrigo Yaegashi

Por Jorge Grimberg

Bel Humberg reflete em sua essência empreendedora os valores que definem seu novo negócio. Depois de um hiato de dois anos, a fundadora do OQVestir – o primeiro e-commerce de moda high-end do País – volta ao mercado com a plataforma Fashion Code. “Achei que tinha resolvido a vida da mulher naquele momento, mas entendi que o problema não era exatamente o que vestir, era como vestir”, explica Bel.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

O Fashion Code alia alta tecnologia a um time de especialistas para fazer uma curadoria de peças para cada mulher, não importa sua idade, tipo físico e lugar onde mora. O modelo de negócios da startup é inspirado na empresa americana Stitch Fix – hoje avaliada em mais de US$ 2 bilhões e considerada, por especialistas, o “Netflix da moda”.

Para comprar no Fashion Code, a pessoa preenche um quiz no site “que demonstra quem é você e como cada pessoa é diferente da outra”. Ao fechar a compra, a cliente recebe, em sua casa, uma caixa com seis a oito peças que refletem suas reais atividades e gostos, aliando a inteligência do algoritmo com as escolhas da personal stylist. “Essa é a nossa grande sacada. Queremos levar para os diferentes cantos do Brasil uma moda mais personalizada.”

Bel tem a energia criativa e a visão que nossa indústria precisa hoje: advogada e psicóloga de formação, que – além do Fashion Code – atua como mentora da Endeavor e conselheira EY no programa Winning Women. Uma mulher extremamente articulada, com senso de comunidade e visão a longo prazo. O estilo de Bel é “clássico com twist”, como ela mesma coloca. “Quando eu era advogada, as pessoas me olhavam e perguntavam: você trabalha com moda?”

A paixão por produto e a edição afiada fazem dela uma excelente curadora. Em seu estilo pessoal, alfaiataria, couro e jeans em tons neutros jogam com itens em cores fortes e acessórios marcantes. “Sempre tenho alguma peça que ilumina, porque acho que é a forma de você também se revigorar de algum jeito”.

Sua jornada de estilo pessoal reflete sua própria essência e a paixão por edição de moda. Descobrir e conectar marcas com sua plataforma hoje é tarefa que faz com grande entusiasmo. “Temos tanto talento no nosso País, pessoas fazendo moda com muita propriedade. Não somente em São Paulo, mas também em Minas Gerais, no Ceará…”

Entre as labels que entraram em seu radar, Bel cita Camila Sarpi, Le Partout, Gaya, Julietha e Chez Nous. “Todas já tiveram uma trajetória em moda e estão se reinventando. Nosso desafio é juntar talentos para contar uma história diferente.” Multitalentosa, Bel diz que seu maior dom é o entusiasmo. “Se você não tiver essa paixão e esse brilho nos olhos, você não forma time. O que tenho hoje? Um sonho. Acredito tanto que estou aqui de novo.”

Leia mais:
Marca de sapatos inova ao substituir saltos de plástico por canos de PVC
Decoração: como vive a diretora internacional da Schutz
At work: Raquel Vitti Lino toca uma importadora de vinhos