Por Luigi Torre

Harper’s Bazaar de setembro, Guillaume Henry falou sobre sua admiração por Romy Schneider e como seu estilo é influente para o que o estilista vem fazendo na Nina Ricci. Influência esta que ficou ainda mais evidente nessa sua segunda coleção para maison. Vem daí o sútil clima film noir da passarela, com toda aquela sedução misteriosa do filmes dos anos 1940. Trench-coats e vestidos de couro são a melhor tradução de tais referências, porém trabalhados sob olhar minimalista.

Os cortes são precisos e as formas, simples. E como a mulher Nina Ricci de Henry vive nas ruas e não nas telas de cinema, há também um bom foco em separates para o dia a dia. São terninhos de corte reto, camisetas, camisas e blusas soltinhas de mangas alongadas e minissaias de couro, que dão conta de cobrir toda e qualquer necessidade da consumidora da marca.