SPFW: veja o resumo do quarto dia da 51ª edição do evento
Foto: Divulgação/Mariana Maltoni

Por Rodrigo Yaegashi, Marcela Palhão, João Victor Marques e Larissa Romano, com colaboração de Evelyn Gross

Neste sábado (26.06), aconteceu o quarto dia da 51ª edição do São Paulo Fashion Week. Dando continuidade ao maior evento de moda da América Latina, nove marcas apresentaram suas coleções que valorizam a trajetória da moda nacional.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Veja abaixo os destaques das apresentações – todas seguindo modelo 100% digital do SPFW:

Rocio Canvas

A Rocio Canvas abre a quarta noite de apresentações do SPFW. Com o tema “Deslocamento como processo criativo”, Diego Malicheski, diretor criativo da marca, cria peças que imprimem a funcionalidade e a beleza que as pessoas buscam na moda.

Silhuetas desconstruídas, alfaiataria e multifuncionalidade são os destaques da coleção apresentada em um fashion film estrelado pela modelo Laura Fernandes. Destaque para a estampa que remete ao animal print e aos detalhes criados com elos metálicos, que brincam e transformam as modelagens.

LED

Celio Dias, para o verão 2022 da sua marca LED, busca no desejo coletivo – que intitula a coleção – nossa vontade de aglomerar, nos reunir, nos conectar, nos amar! Com sua moda política e inclusiva, a frase que estampa estampa a camiseta e o pareô da bandeira nacional ressignificada, dizendo “abaixo o macho astral”, sintetiza o ideal patriarcal que precisa ser mudado.

Com um fashion film que mais se assemelha a um videoclipe, Davi Sabbag, Bibi Caetano, Alice Caymmi e Dani Vieira embalam uma resenha entre amigos, cobertos de autenticidade vista nas peças sem gênero, em tricôs e crochês, franjas, brilhos laminados e, claro, nos prints exclusivos que se tornam papéis de parede em parceria com João Vitor Lage e branco.casa, levando a marca para o universo também do decor!

TA Studios

Estreando no SPFW, TA Studios, que faz parte do Projeto Sankofa – idealizado pelo coletivo Pretos na Moda e pela startup VAMO – apresenta em um desfile animado, repleto de dança e movimento, a coleção Adinkra, que tem como inspiração os signos, que carregam este mesmo nome, cultura Ashanti, do povo Acã.

Gisele Caldas, criadora da marca, idealiza que as peças sejam como um amuleto e possam trazer bons fluídos, proteção e abundância para quem tiver a sorte de usá-las. Que assim seja!

Silvério

Silvério fecha a primeira edição do Projeto Sankofa, com a coleção “Obscuro”. “Fizemos um estudo em cima de escuridão, essa matéria que nada mais é do que a ausência de luz. Diante desse cenário pandêmico, de crise sanitária e do desgoverno que acaba intensificando tudo isso, achei prudente fazer um estudo sobre como podemos atravessar essa matéria de forma afetiva”, conta o estilista.

O resultado é um trabalho delicado com a escuridão, traduzido em peças muito bem construídas e que desafiam silhuetas convencionais.

Freiheit

Para a nova coleção da Freiheit, Marcio Mota busca inspirações no suprematismo russo – movimento artístico fundado pelo pintor Kazimir Malevich -, no punk e no streetwear para criar modelagens arquitetônicas que vestem diferentes corpos, fortes no DNA da marca, ao lado de uma nova linha de malharia.

Destaque para as estampas desenvolvidas manualmente e que remetem a colagens.

Neriage

Como Rafaella Caniello gosta de dizer, a Neriage apresenta capítulos a cada temporada e, para essa, interiorizar é a palavra de ordem. Sim, o olhar íntimo para tudo que nos cerca reflete nas peças que resgatam com nostalgia tudo o que a marca preza.

Seus valores e hits são reaplicados, como o conforto das modelagens amplas, os plissados que dão movimento e textura, a cartela de cores que cria contraste entre suavidade e fortes mostardas e laranjas. Os quimonos – adornados com alfinetes de segurança máxi – vestidos embabadados com costuras cruzadas e os sapatos, criados em parceria com a Blue Bird, marcam o capítulo escrito com delicadeza pelas mãos da artista.

Misci

Às margens da Marginal Pinheiros, literalmente embaixo da Ponte Estaiada, a Misci apresentou sua nova coleção “Boleia” que, mais uma vez, tem como caráter principal ser vernacular. Isto é: exaltar o Brasil e suas raízes. Desta vez, o designer Airon Martin, que é a mente pensante à frente da label, escolheu relembrar suas vivências infantis ao lado de grandes mulheres e levou para sua grife as lembranças que essas forças femininas carregavam no peito, sendo representada pelos minibolsos, presentes nas roupas entre os seios.

Seguindo o caminho que já é conhecido, as roupas masculinas aparecem em modelagens oversized e com bolsos nas partes frontais, como um auxílio para o momento que temos vivido no país e em que é necessário sair de casa carregando inúmeras coisas.

Os acessórios deram um show à parte, com as bolsas baguette feitas em couro em múltiplas cores e óculos retangulares muito em alta no streetwear. À bordo do caminhão da vida, Misci nos levou em uma viagem urbana para (re)encontrar o Brasil.

Carol Bassi

Em uma carta de amor ao Rio, Carol Bassi Brand e Marco Gurgel se unem na criação da coleção apresentada durante o SPFW. O fashion film é estrelado por Barbara Fialho, que canta pelas ruas da Cidade Maravilhosa usando as peças criadas em uma cartela de cores suave, inspirada no arco-íris sobre o mar de Copacabana.

Os babados são a grande estrela da coleção, criando volumes em decotes e mangas e uma silhueta ultrarromântica. As modelagens acinturadas e as saias rodadas reforçam a feminilidade característica da label comandada por Anna Carolina Bassi.

Isaac Silva

Encerrando a quarta noite de SPFW, Isaac Silva nos leva a refletir sobre nossas origens e a conexão com a mata, a natureza e toda a energia que carrega nossa ancestralidade. Então nada mais coerente que o casamento em colaboração com as Havaianas, marca sinônimo de Brasil. O ícone internacional – os chinelos – ganha os prints inspirados na cultura indígena e afro que é DNA da marca.

A simbologia por traz da coleção é a “boca da mata” – que também dá nome à linha -, nosso portal para transformação, que no fashion filme apresentado, é traduzido em peças que misturam o streetwear com o conforto e inclusão.

Isaac tem nas mãos o poder de emocionar, presencialmente e digitalmente, e o faz desta vez misturando o high-tech de vibe oitentista das jaquetas de corta-vento com a pureza de peças de cortes fáceis e na beleza assinada por Ziel Moura, que conta com pitada glam de pedras iluminando o make. Uma ótima forma de dar boa noite, e não se esqueça: Acredite no seu Axé!