Foto: Divulgação

O mundo das intervenções estéticas faciais divide-se entre os que amam e os que odeiam o preenchimento nos lábios. Dar volume à boca corrige assimetrias, define contornos e elimina as ruguinhas ao redor da pele. E, claro, dá aquele efeito carnudo – que, às vezes, passa do ponto.

A boa notícia para quem quer rejuvenescer os lábios, sem mudanças drásticas no rosto, é a aplicação de toxina botulínica nos cantos da boca (sim, toxina! É comum a confusão, mas o preenchimento labial seguro é feito com ácido hialurônico e não com ela). Batizada de Botox Lip Flip, a técnica tem ganhado popularidade nos Estados Unidos e aqui também: quantidades ínfimas são aplicadas nos cantos dos lábios e perto do arco do cupido.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

O resultado é um aspecto de boca levemente mais volumosa. A diferença entre a toxina botulínica e os preenchedores é basicamente o fato de que o botox dá a impressão de aumento, mas não cria o volume propriamente dito.

O Botox Lip Flip relaxa, de forma sutil, a musculatura ao redor da boca, o que acaba por levantar os lábios superiores. As injeções em microdoses são aplicadas cuidadosamente em pontos estratégicos para evitar o risco de congelar o lábio. “Elas são mais indicadas para diminuir as linhas de expressão ao redor da boca e dar uma sutil impressão de aumento. A aplicação de baixas doses de toxina botulínica pura faz com que diminua a contração da musculatura labial, aliviando as linhas verticais em código de barras”, explica o cirurgião plástico Bruno Zampieri, de São Paulo.

“Além disso, o relaxamento dessa musculatura promove uma eversão dos lábios, aumentando levemente o volume sem que seja necessário o uso de ácido hialurônico.” O procedimento dura cerca de três a quatro meses, contra o efeito médio de um ano dos preenchedores. “Envelhecer é um processo natural, e a região dos lábios não escapa das mudanças causadas pelo passar dos anos. O processo de envelhecimento da área da boca envolve desde a perda do volume até o aumento da distância entre o nariz e o lábio superior, passando também pelo surgimento das temidas rugas ao redor dos lábios”, explica o doutor Bruno.

“Os movimentos realizados ao falar e beijar colaboram para que surjam essas linhas verticais no contorno da boca.” Parece assustador pensar que o simples ato de falar, ao longo do tempo, contribui para o envelhecimento. “Mas, hoje, há uma série de tratamentos, minimamente invasivos, que melhoram a pele ao redor dos lábios, seu contorno e volume, trazendo um ar de jovialidade novamente”, ensina Zampieri.

O uso de toxina botulínica em baixas doses para reduzir a formação de rugas vem se somar ao atual arsenal antienvelhecimento da região. Além da volumização com ácido hialurônico, peelings, lasers e skinboosters ajudam a melhorar a qualidade da pele dos lábios. A escolha por um ou vários deles ao mesmo tempo depende de uma série de fatores: “Temos de focar nas causas do processo de envelhecimento, que vai desde a perda das estruturas ósseas que sustentam os dentes até a queda e flacidez da pele em volta dos lábios, antes de optar por cada procedimento”, afirma o cirurgião plástico.

Zampieri explica que uma outra grande tendência para realçar a beleza e rejuvenescer a região é a chamada Liplush Technique, que utiliza ácidos hialurônicos de diferentes densidades e concentrações: o Belotero Balance é injetado para realçar o contorno dos lábios, e o Belotero Intense, para estruturar e aumentar o volume, quando desejado. O resultado é um preenchimento labial bem mais natural e personalizado.

Já a dermatologista Luciana Garbelini, de São Paulo, adotou a Russian Lip Technique: a técnica utiliza gotículas de ácido hialurônico, distribuídas milimetricamente. “Os pontos de aplicação são definidos de acordo com a anatomia e o desejo de cada um. O objetivo não é dar um volume exagerado ao lábio, e, sim, deixá-lo com um contorno bonito e proporcional ao rosto”, explica a médica.

Apesar de haver uma ampla gama de tratamentos minimamente invasivos, que podem ser feitos em consultório médico, em alguns casos, o procedimento cirúrgico – caso do lifting labial – pode ser a melhor indicação. “Cada paciente precisa ser avaliado por um especialista, para que seja indicado um tratamento individualizado, adequado, harmônico e sem exageros.” Portanto, se seu foco são lábios turbinados, o Lip Flip não é para você. Mas pode ser um primeiro passo para quem pensa em dar um pump discreto na boca.