Stella Maxwell veste Dolce & Gabbana – Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Seja em casa, ao ar livre ou na academia, a prática de atividades físicas faz bem à saúde e isso não é surpresa para ninguém. A novidade vem de uma pesquisa que indicou outros efeitos positivos se elas forem feitas regularmente e em maior intensidade. O trabalho foi coordenado pelo Departamento de Medicina Preventiva da EPM/Unifesp (Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo), em parceria com a Universidade de Wuhan (China), a Universidade de Santiago do Chile (Chile) e a Universidade Europeia Miguel de Cervantes (Espanha).

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

De acordo com o estudo, publicado na revista “JAMA Internal Medicine”, a partir da análise de 403.681 pessoas, foi identificada uma redução de mortalidade associada a diferentes combinações de exercícios de níveis moderados e intensos. Segundo a pesquisa, adultos que realizaram de 50% a 75% do total de atividade física semanal em alta intensidade tiveram uma redução de 17% na mortalidade por todas as causas, quando comparados aos adultos que só realizaram atividades moderadas.

Os resultados da pesquisa mostraram que, independentemente do tempo que a pessoa se exercita, incluir um pouco de atividade intensa, como, por exemplo, correr, pedalar ou jogar futebol, contribui para uma vida mais saudável e longeva. A investigação aponta ainda benefícios dos exercícios físicos para a prevenção de doenças crônicas, como diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Outro estudo recente realizado pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, reforça a eficácia desses resultados. Foi observado, a partir dos registros de atividades de 90.211 adultos britânicos, que as pessoas que se exercitavam de maneira mais intensa apresentaram uma redução média de 54% a 63% nos riscos de problemas cardíacos. Neste estudo, participaram homens e mulheres que caminhavam de duas a três horas por dia e treinavam intensamente por 50 minutos ou mais no mesmo período.

Além disso, é comprovado que fazer exercícios ajuda a reduzir níveis de estresse, evita o acúmulo de gordura, melhora a força e o tônus muscular, aumenta a autoestima, além de outras vantagens. No caso de idosos que fazem atividade física, há maior qualidade e aumento na expectativa de vida, redução do risco de quedas, melhora na flexibilidade e boa forma.

É importante que a prática de exercícios seja um hábito iniciado o quanto antes, tendo em vista que, desde o momento que nascemos, o nosso corpo inicia o processo de envelhecimento. Mas a idade avançada não representa uma grande vantagem se todos esses anos não vierem acompanhados de qualidade de vida e bem-estar físico.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que adultos realizem entre 150 e 300 minutos de atividades físicas de intensidade moderada semanalmente, e 75 a 150 minutos de atividade física de alta intensidade, ou, ainda, uma combinação entre elas, quando não houver contraindicações. Ressalta-se a importância de consultar um profissional de saúde especialista na condução antes de dar início à prática.