Alexandre Birman – Foto: Divulgação

Alexandre Birman foi um dos nomes mais importantes da moda em 2021. Seu grupo Arezzo consolidou mudanças na recém-adquirida Reserva, comprou a Carol Bassi Brand e estreia no universo do vestuário feminino. Convidamos o empresário para falar sobre o que será tendência em 2022. Veja abaixo:

A moda é cíclica e reflete sua época, as transformações, o comportamento e o desejo das pessoas. Como diz muito bem um grande amigo e parceiro, Carlinhos Jereissati Filho, “A moda é a antena do nosso tempo”. Além de ser uma indústria cada vez profissional e estruturada globalmente, que gera milhares de empregos e proporciona o desenvolvimento de regiões inteiras, a moda tem seu poder de conexão, de elevar a autoestima, empoderar, contribuir para o autoconhecimento, expressão criativa e de um estilo próprio.

Numa reflexão sobre o convite de Bazaar para apontar 5 tendências da moda para 2022, fiz uma rápida “viagem” aos últimos anos. Sou um observador nato e vivo intensamente o presente, para então pensar no futuro, que é logo ali. Se voltarmos no tempo, percebemos claramente uma casualização da moda, com a febre do tênis, que chegou para ficar, trazendo o coolness do streetwear para looks casuais, formais e se firmou como uma fashion trend.

Seguido pela pandemia, que acentuou a busca pelo conforto e o estilo “homewear“, pijamas e moletons, chinelos, sliders e tênis no mais puro comfy style, ganharam ainda mais força. Nesse momento saindo de quase dois anos de incertezas da pandemia, vivenciamos uma onda de glamour, de euforia, que deve ter cautela, mas que se reflete em uma nítida vontade de dress up.

É natural do ser humano querer expressar seu anseio por liberdade, pela vida, encontros e festas por meio de um estilo que transmita esse espírito! Dress up & High Heels são na minha opinião uma forte tendência para 2022. Se mergulharmos na história da humanidade constatamos esse fenômeno em momentos pós guerra e de desafios extremos. Que bom ver a capacidade de resiliência e regeneração do ser humano expressar-se na moda e seu lifestyle!

Outra forte tendência para 2022 e os próximos anos, acredito ser o Second Hand, como um dos pilares da sustentabilidade, compromisso vital para nossa indústria. Atuamos em diversas frentes em sustentabilidade no grupo Arezzo&Co, rastreabilidade das matérias primas é essencial, somos Great Place to Work há dois anos consecutivos, adotamos escolhas conscientes, atuamos para tornar o grupo mais diverso e inclusivo, reposicionamos a Alme, como marca carbono neutro e toda produção e experiência focadas no impacto positivo.

A sustentabilidade está presente em toda a Arezzo&Co de diversas formas, e em 2020 adquirimos a Troc, plataforma de moda circular, fundada por Luanna Toniolo, que vem crescendo potencialmente não só o negócio, mas o conceito da moda circular, o que é fundamental para quebrar qualquer preconceito e entrar de vez para a cultura da brasileira. A experiência Troc nos faz repensar como as peças paradas em nosso closet podem ter vida (muito mais) longa, contribuir para uma indústria mais consciente e sustentável. Sem dúvida para mim esse é um importante turning point da indústria da moda.

Uma terceira tendência para o próximo ano é, sob uma ótica de negócios e sob o ponto de vista do cliente, a consolidação da Omnicanalidade. Como define de forma brilhante meu sócio Rony Meisler, fundador da Reserva, e uma das pessoas, que mais entende de comportamento humano, que eu conheço: não foi o mercado que se tornou omni, fomos nós! Somos omnichannel! É uma absoluta verdade e nós como indústria temos que estar sempre atentos para antecipar e corresponder ao desejo das pessoas com amor no atendimento. Integrar os canais físicos, digitais e remotos de qualquer natureza, com fluidez, garantindo uma experiência memorável, que surpreenda o cliente, deixa de ser uma solução de sobrevivência da pandemia, para ser natural do negócio e do comportamento das pessoas. Ter essa visão de se transformar o tempo todo e estar alinhado ao espírito do tempo, se manter conectado ao Zeitgeist atribui inovação constante ao negócio e à mentalidade do grupo.

Pensando nisso inclusive, arrisco a decodificar uma outra tendência que é a de Lifestyle Brands, cada vez mais vejo nas marcas muito mais do que uma entrega de produtos, mas de geração de conteúdo, conhecimento, entretenimento e todo um lifestyle atribuído a ela. Dentro desse contexto, criar um ecossistema em que a cliente não quer só comprar, ela quer fazer parte. Vemos isso na Arezzo, com BriZZa por exemplo, com nosso BriZZa Circuito Beach Tennis que levou centenas de pessoas a jogar nas arenas da marca em diversas praias do Brasil. A Reserva com todos seus canais de conteúdo e conhecimento, que convidam à reflexão sobre empreendedorismo e inovação, pilares da marca; “O que o Futuro do Varejo” nos Reserva, que reuniu milhares de pessoas durante uma semana, online, liderado por Rony, com nomes que são referências do mercado, “ReservaFlix” e outros vários projetos que conectam a marca com seu público. Schutz, a marca mais fashion do grupo, lança em março sua linha vestuário e torna-se uma lifestyle brand vestindo a “Schutz Lover” da cabeça aos pés literalmente, há alguns anos já temos vários projetos de relacionamento da marca como a Schutz Trip e outros.

Last but not least! Um bastidor que muda o jogo é minha aposta e investimento em logística. A velocidade de entrega na internet é o maior diferencial. Para terem uma ideia, um dia de prazo a menos dobra a conversão de venda. A gestão integrada da cadeia de suprimentos e principalmente do sourcing é fundamental para manter a engrenagem funcionando em alta performance. Logística é chave para isso!

Para concluir, despertar o desejo é a fórmula do sucesso! Que 2022 seja um ano de crescimento e evolução, prosperidade e energias boas para todos vocês! Obrigado pelo convite Bazaar! #borapracima #rumoa2154