Camila Salek – Foto: Divulgação

Por Camila Salek

Encerramos 2020 buscando, entre celebrações pela vida, válvulas de escape para todos os desafios ainda não solucionados. Com um tom que mesclou emoção e festividade, o final do último ano fez-se um grande suspiro de esperança para o que ainda estava por vir. Então 2021 chegou e rapidamente entendemos que já não existe começo, meio ou fim, os anos passam em um fluxo contínuo, e, não à toa, muitos chamaram este de “2020: capítulo 2”.

Ao longo de 2021 seguimos na incansável busca por respostas e soluções diante problemas cada vez mais complexos. Mais um ano de muita ação e evolução e, acima de tudo, agilidade. Alguns ligaram o piloto automático, outros se empenharam em perseguir a luz no fim do túnel sem qualquer certeza de sua existência.

Agora, estamos aqui, em mais um final de ano. Um marco definitivo para pessoas, profissionais e negócios. O que esperar? Como agir? Para onde ir? As perguntas seguem crescendo em meio a uma sociedade saturada, que abriu mão da socialização e enfrentou diariamente perdas, quedas, e um grande desequilíbrio entre esforços e recompensas. Por isso, hoje eu quero ter uma conversa muito direta e pratica sobre o que podemos esperar deste período que engloba o melhor potencial comercial do varejo.

Estamos terminando outubro e este sempre foi um período destinado às movimentações do segmento infantil aqui no Brasil. Não este ano. Marcas no Brasil e no mundo decidiram provocar (ainda mais) a antecipação das compras natalinas, desenvolvendo campanhas com diferentes estratégicas de preço e produtos. A gigante Nordstrom, por exemplo, enviou a seguinte mensagem aos seus clientes: “sugerimos antecipar suas compras de Natal este ano. Os presentes mais quentes podem se esgotar em nosso site e o envio pode demorar mais do que gostaríamos”.

A mensagem acima entrega duas verdades:

1. a escassez de parte da cadeia produtiva gerou muitas quebras e atrasos de abastecimento para este final de ano;

2. despertar o consumidor em um momento onde já existe uma grande propensão à retomada de consumo, gera movimentos de antecipação das compras.

Uma recente pesquisa da Deloitte a respeito do mercado americano, aponta para o aumento de cerca de 8% nas vendas do período de fim de ano em relação ao ano passado. Enquanto outra pesquisa, do International Council of Shopping Centers, aponta que cerca de 75% dos consumidores afirmam que farão suas compras de Natal ainda mais cedo neste ano.

Provocar toda uma movimentação de antecipação exige maior planejamento das marcas. Antecipar também nos dá uma melhor margem para lidar com dificuldades e problemas em tempo real. Por isso, para este fim de ano, vejo claramente 4 macromovimentos para as ativações de fim de ano:

PRÉ-NATAL: quando o consumidor começa a procurar por ofertas oportunas. Este é o movimento que estamos vivendo agora!

BEST FRIDAY: momento de destaque para oportunidades imperdíveis, com forte senso de urgência. Muitos varejistas brasileiros ficarão o mês de novembro inteiro em “Best Friday”.

NATAL: foco nas ofertas mais especiais e de maior valor, incluindo o autopresente.

PÓS-NATAL: momento de trocas, que se soma aos achados oportunos que geram vendas adicionais!

Dentro de cada momento do período, devemos considerar variáveis muito importantes para o resultado final: preços e sua segmentação, oportunidade de lançamentos, disponibilidade de sortimento e política de desconto. Para traçar toda esta estratégia, é fundamental analisar o estoque e histórico da marca e definir objetivos comerciais, observando o posicionamento de concorrentes e, claro, entendendo as necessidades do consumidor – que pode flutuar ao longo do tempo, observe sempre!

São vários os caminhos estratégicos que vamos ver sendo colocados em prática pelas marcas nas próximas semanas, em um cenário completamente diferente de 2020, quando medos e inseguranças estavam muito latentes. Apesar de todas as dificuldades que o contexto do nosso País ainda aponta para os próximos meses, o fim do ano de 2021 chega para traçar mais um marco de CELEBRAÇÃO, os primeiros passos para o que nos aguarda nos próximos capítulos: o renascimento de uma sociedade a caminho da cura e pronta para construir um mundo melhor, carregando aprendizados da grande superação que em breve terá sido esta pandemia.

A nossa reinvenção como pessoas e a revisão da experiência que ofertamos para o consumidor neste fim de ano serão decisivos para o sucesso de 2022. Para quem quer mergulhar nessa jornada, esta semana lançamos um report sobre oportunidades e estratégias para a alavancagem de resultados no varejo neste fim de ano. Não precisamos esperar janeiro para construir algo novo, precisamos começar agora. Ja é Natal e É TEMPO DE CELEBRAR!

Camila Salek – Sócia-fundadora da Vimer Experience Merchandising integrante do grupo de empreendedoras de sucesso do programa “Winning Women Brasil” da Ernst Young e colunista da Harper’s Bazaar Brasil. Referência em varejo e visual merchandising, está por trás de evoluções significativas da experiência de consumo e do desenvolvimento do conhecimento da área, através da implementação de projetos inovadores e compartilhamento de conteúdos ministrados em aulas, palestras, treinamentos e publicações nacionais e internacionais voltadas para moda e tendência.