NotEqual: conheça a grife do mineiro Fabio Costa

Ele participou três vezes do reality show "Project Runway" nos Estados Unidos

by Silvana Holzmeister
Fabio Costa - Foto: Divulgação

Fabio Costa – Foto: Divulgação

Sabe aquele método bem simples de esticar o braço para medir o tecido? A partir dele, o estilista Fabio Costa foi reduzindo medidas até chegar às falanges da mão e estruturar um sistema próprio, que hoje é a base de sua alfaiataria sem gênero. O pulo do gato é o gancho intermediário, que faz a mesma calça transitar entre os closets masculino e feminino.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Aliada a dobraduras e pesquisa de tecidos, a técnica dá a cara da NotEqual, sua marca própria, que foi destaque na última Casa de Criadores. De volta a Belo Horizonte depois de 12 anos em Nova York, ele trouxe na bagagem participações em três edições do Project Runway, o mais famoso reality show de moda norte-americano.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

“Estava estagiando na Helmut Lang quando fui aceito pela primeira vez. Fiquei em segundo lugar e isso abriu portas”, recorda. Com a popularidade, conseguiu levantar, por meio de crowdfunding, o dinheiro para montar o primeiro ateliê, e desfilar nas semanas de Los Angeles, Nova York e Vancouver.

Segundo Costa, o convite do American Folk Art Museum para criar um look para a exposição “Folk Couture: Fashion and Folk Art” foi um divisor de águas. “Misturei referências ao candomblé e cristianismo, dei palestras sobre o processo criativo, e a mídia começou a separar meu nome do programa.”

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O mineiro participou de mais duas edições do reality, em 2014 e 2016. Não levou o primeiro lugar, mas conta que as experiências foram ótimas para o amadurecimento de sua performance criativa, imagem da marca (ele chegou a vestir a atriz Ruby Rose e vários outros atores de Orange Is the New Black) e também para a evolução da modelagem sem gênero.

Aos poucos, entendeu que suas pesquisas estavam próximas da proporção áurea, forma de medição matemática que cria um senso de beleza por intermédio da harmonia e que tem sido usado há milhares de anos, das Pirâmides de Gizé a logotipos famosos. “Foi intuitivo. Cheguei a usar envelopes de carta como recurso e fazia moulage no meu corpo.”

Foto: Agência Fotosite

Foto: Agência Fotosite

Apesar de ter Green Card, o estilista conta que, após a posse de Trump e as denúncias de assédio contra o produtor Harvey Weinstein, começou a repensar sua permanência em Nova York. “Vim observar o mercado brasileiro, conheci o Pedro Lázaro, que estava à frente do Minas Trend (atualmente, o estilista Ronaldo Fraga é quem assina a direção criativa), e ele me convidou para desfilar. Me empolguei e acabei ficando”, explica, acrescentando que está aproveitando para ficar próximo da avó. “Ela era costureira. Foi quem me criou e me inspirou.”

Foto: Agência Fotosite

Foto: Agência Fotosite

No final do ano passado, Costa participou, pela segunda vez, da semana de moda mineira e estreou na Casa de Criadores com uma coleção mais conceitual, inspirada nos uniformes da infantaria otomana do século 14. Além de reforçar o exercício de modelagem com shapes oversized e amarrações, a coleção propôs pensar a roupa como proteção em meio às turbulências sociais.

A campanha, que está saindo agora do forno, ressalta a vocação sem gênero e brinca com a tecnologia ao propor uma modelo real interagindo com outra, artificial, criada a partir dos traços faciais do estilista. “Há uma reflexão sobre o que é verdadeiro.”

Foto: Agência Fotosite

Foto: Agência Fotosite

E veio na mesma época o convite da Alphorria para reinterpretar 13 looks para o inverno 2019 inspirados nos 30 anos da marca criada por Edna Thibau – agora sob o comando da filha, Fernanda –, reaproveitando sobras de tecidos de coleções antigas. No resultado, apresentado mês passado, sua peça preferida é o macacão com dobraduras que ajustam a peça ao corpo, feito inicialmente para uma das provas do Project Runway.

Foto: Agência Fotosite

Foto: Agência Fotosite

“Minha roupa não é sensual, mas achei interessante trazer essa atmosfera. Foi assim que cheguei à inspiração da (dançarina) Mata Hari, e em shapes que remetem aos anos 1920, 1940 e 1950, mas eliminei as costuras laterais.” Enquanto já se debruça no verão 2020 da Alphorria, Costa inaugura, este mês, o e-commerce da NotEqual, com peças para o dia a dia, e prepara-se para o segundo desfile na Casa de Criadores.

Como bom filho pródigo, não somente retornou a Minas como está conquistando o mercado de moda brasileiro.

Leia mais:
Casa de Criadores: elegância e informação de moda marcam o terceiro dia da 44ª edição
Weider Silveiro abre a 44ª Casa de Criadores com criatividade e tradição
Martins.Tom faz coleção “see now, buy now” à venda na Pair
Veja o line-up da 44ª edição da Casa de Criadores
Rocio Canvas: grife curitibana conquista público com moda artsy e atemporal