Foto: Beatriz Poletto
Foto: Beatriz Poletto

“É um esforço hercúleo”, disse Paulo Martinez sobre a Casa de Criadores. No segundo dia de desfiles, na terça-feira (24.07) , no qual foram apresentadas as coleções das marcas Another Place, Weider Silveiro, Felipe Fanaia, Rocio Canvas e Renata Buzzo, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo foi palco de luta para a causa LGBTIQ+ e abriu portas para os designers desta edição.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Com 37 anos de carreira, o editor de moda onversou com a Bazaar sobre a importância de prestigiar um evento como a Casa de Criadores. “É sobrevivente nessa época em que vivemos. A força que eles têm em fazer acontecer é fenomenal.”

Foto: Reprodução/Instagram/@felipefanaia
Foto: Reprodução/Instagram/@felipefanaia

É preciso reconhecer que é neste tipo de evento onde a moda brasileira se renova. O editor também ressaltou: “São talentos novos, que não ficam sentados sempre em cima da mesma fórmula. Eles são cheios de boa vontade, são cheios de vitalidade. E porque não fotografar? Porque não dar força? Na minha opinião, é superimportante”.

Leia mais:
MARTINS.TOM é destaque no primeiro dia da Casa de Criadores
Casa de Criadores 2018: a tendência da vez é oversized 
Veja o line-up completo da Casa de Criadores
Casa de Criadores estreia desfile focado em algodão