Nova coleção da Irrita, apresentada nesta quarta-feira – Foto: Divulgação

O São Paulo Fashion Week passa por um momento histórico. Nesta quarta-feira (04.11), o evento deu início à sua primeira edição digital – que também marca 25 anos de SPFW. Com fashion films e apresentações poéticas, o primeiro dia foi marcado pela valorização da moda no momento de isolamento.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Veja abaixo, o que se destacou na apresentação de cada marca:

Fernanda Yamamoto

Com um vídeo artístico dirigido pelo diretor criativo Ítalo Massaru, Fernanda Yamamoto abriu o primeiro dia de apresentações da edição virtual do SPFW. A estilista Fernanda Yamamoto apresentou uma coleção colaborativa, criada em cima de palíndromos transformados em estampas feitas manualmente pela parceira Clarisse Romeiro, do Veredas Atelier, que aparecem em blusas, vestidos e bolsas de concepção minimalista.

A apresentação teve coral EMESP Tom Jobim, com preparação vocal de Marilia Varga. Veja na galeria as peças que já estão à venda no esquema “see now buy now” no site da marca.

Victor Hugo Mattos

Em edição comemorativa aos 25 anos do SPFW, Victor Hugo Mattos apresenta a coleção “Cálida”, uma ode ao Sol e aos oceanos. O estilista mostra seus bordados manuais com bases de crochê, macramê e tricôs em vestidos, bodies e tops cheios de referências ao mar e ao calor do verão 2021, como as redes de pescadores, conchas decorativas e um patchwork único que salta aos olhos.

Inspirado pelo tempo de reclusão passado com a família na Bahia, Victor misturou os princípios do upcycling com o reuso de peças usadas aos trabalhos manuais que aprendeu com seus familiares – uma herança que apareceu em peças de crochê feitas por sua própria mãe, como contou em entrevista à Paulo Borges após a apresentação.

Nesta temporada, ele também apresenta uma collab de joias com a Nart Studio, com brincos e anéis que sintetizam o tema da linha. A apresentação ganha fashion film narrado por Letrux, estrelando a modelo Emilly Nunes sob direção de Paulo Mendel.

Irrita

Varrer a casa, conversar com plantas, dançar na sala, ler um livro, fazer ioga… O verão 2021 da marca Irrita, das sócias Rita Comparato e Lia Camargo, é inspirado no “quem nunca” que dominou os tempos de pandemia. Afinal, quem nunca fez uma dessas coisas – ou todas – durante a quarentena?

Sempre trabalhando com modelagens amplas e confortáveis com estampas desenvolvidas com exclusividade, a coleção tem a cara do home office que certamente veio para ficar. “Tem essa brincadeira de que a roupa virou sua amiga, porque, agora mais o que nunca, você se veste para si mesma, para se sentir bem”, disse Rita.

O fashion film de Phillipe Cardelli, que você assiste aqui na Bazaar, é protagonizado pelas dançarinas Clarice Lima, Ísis Vergílio, Karen Marçal e Marcela Costa, com direção de movimento e coreografia de Clarice Lima, direção de arte de Kleber Matheus e styling de Dudu Bertholini.

Isabela Capeto

Para apresentar sua nova coleção, Isabela Capeto escolheu como cenário o lugar onde ela foi criada: sua casa. Para a estilista, a linha, chamada “Brota”, não nasce em um momento de ruptura. “Mas um desenvolvimento de ideias e valores que ganharam novos significados e fortaleceram com a consolidação dos elos pessoais e profissionais que experimentamos nesses dias”, acrescenta a estilista.

As peças em sarja, jeans e cambraia de linho foram apresentadas em um vídeo dirigido por Luisa Arraes e Caio Blat, com styling de Felipe Veloso, beleza de Max Weber, coreografia de Amalia Lima e trilha sonora de Matheus Torreão. Para quem se apaixonou pelos modelos, eles estarão à venda na Pinga a partir desta quinta-feira.

ÁLG

O streetwear da ÀLG de Fábio Souza Alexandre Herchcovitch traz a expertise em misturar materiais para brincadeiras criativas com os básicos do guarda-roupa. Nylon e tecidos de ares tecnológicos surgem em cortes de alfaiataria como blazeres e calças que não perdem o ar urbano com fechos e bolsos com elásticos.

Assim como nas básicas camisetas brancas que recebem tratamento deluxe com mangas volumosas pela aplicação deste material. Ironia sempre bem-vinda, o acessórios nos queixos dos modelos remetem ao uso incorreto de máscaras, visto infelizmente durante a pandemia. Mas também podem ser uma possível solução para aqueles que não as usam, uma vez com o queixo já bem enfeitado, será que a mascara cobrirá o nariz e boca?

Lenny Niemeyer

Foto: Marcio Simnch

Uma sessão experimental de fotografias realizada por Lenny Niemeyer e o fotógrafo Marcio Simnch foi o ponto de partida para a coleção de alto-verão 2021. “Misturamos flores verdadeiras com plásticos reflexivos em cores ácidas. O resultado ficou muito bacana e acabou inspirando esta linha, que é um trabalho artístico, com pitadas de surrealismo”, conta Lenny em entrevista à Bazaar.

Para a temporada, a estilista trabalha com tecidos como o linho, musseline e seda. As estampas inspiradas no shooting são o ponto alto da coleção. “São prints abstratas que trabalham com cáqui e cores fortes, como o verde limão e o azul neon”, resume. Destaque para as modelagens amplas e fluidas de vestidos, calças, batas e tops de gola alta.