Anel Pandora – Foto: Gui Paganini, com direção criativa de Camila Bossolan, edição de moda de Rodrigo Yaegashi e beleza de Helder Rodrigues

A preocupação com a saúde e a aparência da pele não deve acontecer somente no verão. Os cuidados com a pele na temporada de inverno é algo que também deve fazer parte da rotina skincare. E uma das regiões mais afetadas com as baixas temperaturas são os lábios. “A pele dos lábios é muito mais delicada que muitas regiões do corpo. Por ser mais fina, não produz a mesma quantidade de sebo e ácidos graxos que a pele do rosto”, explica o dermatologista Alessandro Alarcão, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e membro da Academia Americana de Dermatologia.

Alarcão explica que “como é um tecido de transição, a mucosa não fabrica sua própria oleosidade, por isso é tão importante a hidratação da região”. O médico alerta que o hábito de passar a língua nos lábios, por estarem ressecados, só piora o aspecto da pele na região. “Devemos lembrar também que na saliva existe a amilase, que faz uma agressão aos lábios, desidratando a pele. A acidez da saliva pode piorar o ressecamento, irritar a pele da boca e formar manchas escuras, além de outros problemas como vermelhidão, a formação de microfissuras, que essas fissuras podem favorecer infecção bacteriana”, sinaliza.

E quais são os cuidados para tratar da pele dos lábios, em especial o inverno? O dermatologista responde dúvidas sobre o tema abaixo:

Qual a importância de hidratar a região? Algum ativo em especial?

É importante hidratar os lábios, com produtos dermatologicamente testados e prescritos para cada tipo de lábio, já que cada tipo de pele precisa de um tipo de hidratação. “Pode ser feita barreira cutânea de forma que impeça, tanto o contato das enzimas como as digestivas, a exemplo da amilase, como também a perda de evaporação de água e ainda o próprio fato de ‘puxar’ água, caso tenha ácido hialurônico irá hidratar mais os lábios”, indica Alarcão.

Esfoliação é indicada?

“A descamação dos lábios já é um processo natural do corpo, que acontece entre 3 e 7 dias (nos lábios especificamente, porque na pele é diferente). Incluir uma rotina de esfoliação no skincare, além da hidratação frequente, pode ajudar a melhorar a sensação incômoda da descamação. Essa descamação ocorre de forma natural. Então a esfoliação pode realmente ajudar, dando sensação de mais maciez e conforto”, explica o dermatologista.

E o uso de protetor solar na região durante a estação?

“É de extrema importância, usando um protetor solar específico para região dos lábios. É uma pele que não tem defesa, região comum de surgir câncer, do tipo não melanoma, principalmente do tipo espinocelular e em pacientes foram muito fotoexpostos, porque o Sol tem um dano cumulativo (em especial nos idosos)”, orienta o médico.

O que pode ser feito em consultório para garantir lábios hidratados, com aspecto mais viçoso?

“Em relação aos tratamentos em consultório para os lábios, existe uma sequência de procedimentos. É muito importante, antes do paciente fazer qualquer tipo de aplicação nos lábios, de preenchimento, deve primeiro tratar a flacidez”, ressalta Alarcão.

Para essa finalidade o médico indica os lasers, em especial o Fotona, que é um laser de erbium, que irá estimular a produção de colágeno, melhorando a elasticidade local. “Há também o chamado BB Laser ou Laser de Thulium, que faz uma renovação celular nos lábios, e ainda pode aplicar o ácido hialurônico por cima, que irá hidratar”, complementa.

Outro procedimento neste sentido, segundo o médico, é o ultrassom microfocado, como o Ultraformer, o Liftera, entre outros. “Podemos realizar ainda o Fotona intraoral, que trabalha os ligamentos que sustentam os lábios”, indica.

E o médico alerta: “quando se fala em revitalização, precisa falar primeiro de sustentação dos lábios, melhorando a flacidez. Porque se for preenchido um lábio flácido, ele ficará pesado – na hora pode ficar bonito, mas depois não. Por isso é necessário sustentar”. Neste sentido, o dermatologista indica hidratar os lábios, fazendo um efeito glow, por meio de microagulhamento e aplicando ácido hialurônico por cima, para fazer uma espécie de drug delivery.

Para hidratação, o médico ainda sugere o “efeito skinbooster, aplicando ácido hialurônico, não reticulado, que irá ‘puxar’ água, hidratando os lábios, deixando-os com mais viço, mas não irá fazer um efeito preenchedor”.

Já aquele lábio que precisa preencher, é necessário fazer uso do ácido hialurônico, mas lembrar que existe um que é específico para a região dos lábios, com G prime, com o tamanho de uma molécula adequada, para ele ficar natural. “Ninguém percebe que houve preenchimento dos lábios. Porque esses lábios que estão fazendo hoje, que ficam totalmente demarcados, usando G prime alto, fica totalmente artificial e sou totalmente contrário. Sou a favor de um lábio natural”, finaliza Alarcão.