Teve surpresa no último dia da Casa de Criadores, apresentada virtualmente na noite de sexta-feira (27.11). Rober Dognani homenageou Cláudia Liz nesta temporada, modelo brasileira icone dos anos 1990, que mostrou em vídeo os vestidos únicos do estilista, com chapéus de Davi Ramos.

Veja abaixo um resumo do que foi apresentado no evento:

Use VP

Convidar os mais variados públicos a descobrir memórias e estados de vida que transcendem os pactos coloniais: essa é a proposta do curta “Dandara”, da Use VP, marca de Vicenta Perrotta, na 47ª Casa de Criadores. Dirigido e editado pela artista Rafa Kennedy, o lançamento é uma visão audiovisual singular sobre a potência da travestilidade no Brasil e um chamado ao rompimento do estado de ser atual.

“Ao lado de Vicenta Perrotta tive a possibilidade de materializar em formato audiovisual um fragmento de longas reflexões durante este ano, que vão ao encontro de memórias das travestilidades e transvestigeneridades vivas”, conta a diretora Rafa. “Dandara é um estado de mente e espírito que se transmuta em um ciclo de vida que só é possível quando se rompe com os pactos coloniais, lugar este que tem sido construído por muitas antes de nós, possibilitando nossas existências no agora, estando em constante expansão, em nossa mente, corpo e espírito”, finaliza.

“A gente construiu nossos processos que foram apagados pela violência, muitas vezes o que nos une são os vieses da violência. É o que a gente não quer viver, então a gente traz essa discussão de como somos violentas umas com a outras, de como a sociedade nos viola e como não devemos construir relações e estéticas que carregue a violência. Estamos construindo processos de naturalizar nossas corpas na sociedade e quebrar a invisibilização”, comenta a estilista e diretora criativa Vicenta Perrotta.

Nalimo

A coleção “Corpo Território” é uma manifestação de beleza originária, corpos em movimento, diversidade, força, luta e resistência. Dayana Molina, estilista à frente da Nalimo, atravessa e descoloniza caminhos impostos, padrões eurocêntricos e conceitos estereotipados sobre nações indígenas.

Sua concepção como artista e designer é fazer da moda um lugar democrático e acessível para todos, naturalizando assim, o protagonismo de criativos indígenas dentro e fora dos bastidores de moda.

Vivão

A Vivão se juntou às marcas Mofada, Fruty3000, Studio 64 e Plantação de Lavanda para criar uma coleção que preza pelo upcycling e reaproveitamento de tecidos. Destaque para as amarrações, o oversized e o patchwork.

Reif Life

A “reif Non” é uma coleção de roupas refabricadas, parte do pan projeto Reif Life, concebidas por uma rede internacional de colaboradores para ajudar a cadeia de suprimentos de manufatura artesanal no Brasil impactada pela covid-19.

Para esta edição da Casa de Criadores, a marca deu carta branca para a direção criativa e olhar de Pablo Monaquezi e Thiago Roberto para a sua interpretação da coleção, com forte pegada urbana e uma ótima alfaiataria.

Desta coleção, 40% da renda arrecadada com as vendas serão doadas à Casa Branca (SP) , Nos Cuidamos – Rio Negro (AM) e Casa 1 (SP) para ajudá-los a distribuir ajuda a populações carentes em algumas das regiões mais afetadas de São Paulo e do rio Amazonas.

Rober Dognani

Rober Dognani reverencia a Cláudia Liz nesta edição da Casa de Criadores. Modelo ícone dos 1990, Claudia hoje se dedica à pintura e ilustrações. A idéia nasceu e tomou forma nos encontros dos amigos Rober Dognani, Davi Ramos e Adriano Damas, admiradores de Claudia em todas as suas fases.

Para representar Claudia, nada melhor do que a própria Claudia que, admiradora mútua desses talentos e há 20 anos longe das câmeras e passarelas, aceitou o convite e se uniu a essa collab para conceituar em conjunto e estrelar a performance. Outros talentos se uniram a esse dream team, que mostra o preciosismo das roupas de Rober Dognani e os chapéus Davi Ramos.

Jal Vieira

A coleção “Minha Pele Costura a Minha História”, de Jal Vieira, fala da descoberta da imensidão da mulher preta, guiada pelas palavras de cinco poetas, também pretas: Ryane Leão, Carl Dall Farra, Luz Ribeiro, Valentine e Gênesis. “É um mergulho na minha imensidão. E o cilindro de ar é a escrita de cada uma dessas mulheres, que são rios que ora desaguam em águas calmas ora em correnteza forte”, diz a estilista.