Foto: Getty Images

Por Renata Gualdi

Com a chegada da pandemia do coronavírus ao Brasil, alguns hábitos foram mudados drasticamente, e um deles foi o uso obrigatório de máscaras. Um item de segurança utilizado antes somente por profissionais da saúde, agora virou um acessório de proteção para todos os brasileiros e não deve deixar de ser usado tão cedo.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Dadas as circunstâncias atuais, as máscaras estão mais presentes em nossas vidas do que nunca, e é preciso saber como se adaptar a elas da maneira correta, já que, apesar de garantir nossa proteção, elas também possuem alguns pontos negativos, como a ocultação de nossas expressões faciais, dificultando a comunicação.

Rachel Jordan, consultora de imagem e comportamento, explica: “Por cobrirem grande parte do nosso rosto, as máscaras dificultam a transmissão de emoções e a comunicação com outras pessoas. Elas escondem nossa expressão facial, que faz parte da nossa comunicação não verbal, ficando difícil ler expressões faciais e ver se as pessoas estão acessíveis, sorrindo, ou sérias com semblante fechado”.

A comunicação é a base de qualquer relacionamento, seja na vida pessoal ou profissional, e as expressões faciais fazem parte deste processo. Pelas expressões da boca fica muito mais fácil identificar as emoções do interlocutor, e com a boca oculta pela máscara precisamos encontrar outras maneiras de defini-las.

Para Rachel, o segredo da comunicação facial neste caso está nos olhos. “Teremos que aprender a sorrir com os olhos. O contato visual é importantíssimo quando queremos transmitir ao outro que estamos atentos a ele. O gestual de cabeça nesta hora também é importante pois vai complementar esta ação”, explica.

Além dos olhos, também é importante observar as sobrancelhas, já que elas também transmitem mensagens. A partir do formato da sobrancelha é possível identificar traços de personalidade e emoções. “As sobrancelhas com design mais curvo transmitem mais acessibilidade do que as com design de linhas mais retas e diagonais”, exemplifica Rachel.