Foto: Arquivo/Harper’s Bazaar

Desde a época em que integrava o grupo feminino de R&B Destiny’s Child, o estilo de Beyoncé mudou muito, mas nunca perdeu sua essência. Filha da figurinista e hairstylist Tina Knowles, a artista aprendeu desde criança a importância das vestimentas na construção de uma personalidade impactante e poderosa, atributos pelos quais é conhecida, hoje, mudialmente.

Além disso, o fato de ter crescido em uma família religiosa e iniciado sua carreira cantando na igreja de sua cidade natal, não influenciou na maneira como ela se veste. Apesar de ser um ícone de elegância entre as mulheres, as roupas de Beyoncé nunca pouparam em mostrar seu corpo e marcar suas silhuetas dentro e fora dos palcos. Isto é, a religiosidade de Queen B sempre pôde caminhar junto com os seus valores feministas e com a forma em que ela tem total domínio sobre suas curvas.

O estilo de Beyoncé

Foto: Reprodução/Instagram/@beyonce e Getty Images

Não foram poucas as tendências lançadas e abraçadas pela cantora ao longo de sua carreira. Seu estilo, simultaneamente elegante e desafiador, já foi responsável por colocar em alta combinações pouco vistas antes. Um bom exemplo disso são as diversas vezes em que a cantora compareceu à premiações vestindo branco, uma cor que é tradicionalmente usada por mulheres em casamentos.

Ainda brincando com as sensações provocadas pelas cores, Bey é uma grande adepta do color blocking, uma técnica que consiste na composição de looks utilizando tons opostos e, especialmente, vibrantes. Algumas marcas italianas, como Gucci, Valentino e The Attico apostaram nessa linguagem para as coleções de 2020.

Fotos: Getty Images

Transparência e pedras também sempre estiveram muito presentes em seus visuais durante sua trajetória e uma de suas principais apostas são os maxibrincos glamurosos, que marcaram presença em diversos de seus looks mais icônicos até hoje.

Linhas próprias

Beyoncé e a mãe, Tina, na campanha de estreia da grife House of Deréon – Foto: Divulgação

Ainda em 2005, Beyoncé e sua mãe criaram juntas uma linha de roupas femininas chamada House of Deréon. A marca era inspirada em sua avó, Agnèz Deréon, que era costureira. Quatro anos depois, o público conheceria outra coleção, desta vez baseada nos figurinos da turnê do álbum ‘I Am… Sasha Fierce’ (o alter ego que a cantora evoca quando está nos palcos). Todas as roupas da foram desenhadas por Thierry Mugler.

Beyoncé protagonizou o look book de estreia da grife Ivy Park – Fotos: Divulgação

Com a chegada de seu sexto álbum de estúdio, em 2016, que foi, provavelmente, um de seus trabalhos mais aclamados pela crítica, a cantora lançou a Ivy Park – uma linha de vestuário esportivo voltada para mulheres e cuja uma das principais premissas é fazer com que suas consumidoras acreditem que o exercício físico não é só sobre aparência. Mais tarde, ela também anunciou uma colaboração da Ivy Park com a Adidas.

Transição capilar

Bem no começo da carreira, Beyoncé teve um penteado inspirado nos anos 1950, e depois cortou franja – Fotos: Getty Images

Os fios da cantora passaram por, literalmente, inúmeras transições em toda a sua carreira. No entanto, o processo ao qual nos referimos aqui é o da aderência ao cabelo natural. Neal Farinah, o hairstylist que acompanha a artista a mais de 13 anos é o responsável por ajudá-la durante esse caminho de “abraçar” novamente seus traços naturais.

Hoje ela prefere os fios longos, na versão enrolada ou ondulada – Fotos: Getty Images

Seu cabelo já passou por tantas fases e o uso de perucas se fez tão constante em suas turnês e aparições públicas que muitos nem mesmo conheciam qual era a textura natural dele.

Maquiagem

Maquiagem de Beyoncé na versão colorida, com sombra azul – Foto: Getty Images

Sir John, seu maquiador pessoal, já desenvolveu os mais variados tipos de sombreados e bronzeados no rosto da cantora. Contudo, algumas características parecem ter permanecido em suas criações ao longo dos anos, não só em Beyoncé, mas também nas outras artistas com quem trabalha, como Kim Kardashian, Joan Smalls e Ashley Benson.

Um dos truques mais conhecidos do especialista é possuir dois tons de base para a pele de suas clientes – uma para o verão e outra para o inverno. As duas se complementam na medida em que a cútis for menos ou mais pigmentada  por conta da exposição ao Sol. O macete contribui para dar nuances e realces ao rosto, evitando que fique demasiadamente monocromático.

E seu make preferido, em versão minimalista, apenas com os olhos marcados – Foto: Getty Images

A maquiagem também adentraram em suas obras de caridade. Entre as muitas de suas iniciativas para ajudar as populações mais carentes, no dia 5 de março de 2010 ela inaugurou junto com sua mãe o Beyoncé Cosmetology Center. Localizado dentro do Brooklyn Phoenix House, um centro de apoio à viciados em álcool e drogas, o projeto oferece treinamentos sobre cosméticos para que homens e mulheres se profissionalizem e consigam encontrar empregos relacionados a arte depois que se recuperarem.

A verdadeira questão sobre as composições de seus visuais não está necessariamente centrada nas peças ou acessórios que usa, mas, sim, como usa. Quando analisam-se as roupas de Beyoncé ao longo dos anos, percebe-se que aquilo que motiva as pessoas a quererem copiá-la pouco tem a ver com as vestimentas. Sua classe está muito mais relacionada com sua postura e sua confiança do que com a moda em si. E é exatamente isso que, provavelmente, faz com que ela se destaque no mundo fashion. Em um universo em que a beleza singular de cada mulher é colocada a prova a todo instante, é muito raro encontrar alguém que exale tamanha confiança. Portanto, tal característica, obviamente, sobressai.