Veja as 10 grandes mudanças da indústria da moda em 2018

A indústria teve um ano agitado, e esperamos que 2019 seja igual

by Beatriz Poletto
Foto: Reprodução/Now Fashion

Primeiro desfile de Riccardo Tisci na Burberry, em setembro de 2018 – Foto: Reprodução/Now Fashion

O ano de 2018 foi cheio de surpresas e mudanças para a indústria da moda. Todo tipo de babado aconteceu: estilistas entrando e saindo de marcas, grandes grupos comprando labels e até mudança em logos tradicionais foram notícia. Mudanças importantes e pontuais para o mundo fashion.

A moda está em uma fase que pede por frescor. Essas transições foram necessárias para garantir um futuro inovador. Bazaar amou as novidades e espera por um 2019 ainda mais agitado.

Veja a seguir e relembre as maiores mudanças de 2018:

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM 

Riccardo Tisci na Burberry

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em março deste ano, Riccardo Tisci foi anunciado como diretor criativo da Burberry. Após 12 anos na Givenchy - entre 2005 2 2017 – a responsabilidade de continuar o trabalho impecável de Christopher Bailey já resultou em algumas grandes mudanças para a marca tradicional inglesa.

O couturier voltou a ser estilista e mudou o logo da label inglesa. Ele também criou uma nova estampa para o rosto da marca. E seu primeiro desfile em setembro na casa carregou alguns traços de seu estilo de criação, sem apagar o tradicional da Burberry.

Balmain volta para alta-costura 

Foto: Reprodução/Instagram/@olivierrousteing

Foto: Reprodução/Instagram/@olivierrousteing

Olivier Rousteing fez a Balmain crescer em 2018. O estilista, graças às suas coleções impecáveis e extremamente glamourosas, proporcionou a volta da label francesa à alta-costura. A grife desfilará em janeiro do ano que vem, ao lado de marcas como Chanel e Yves Saint Laurent. E, depois de 70 anos, o agora couturier mudou o logo da maison.

Lutz Huelle na Delpozo

Lutz Huelle, Verão 2018 - Foto: Divulgação

Lutz Huelle, Verão 2018 – Foto: Divulgação

No início de dezembro, a Delpozo confirmou a contratação de Lutz Huelle como novo diretor criativo da marca. Ele substitui Josep Font, que deixou a casa em setembro passado. A entrada de um designer não tão conhecido no mundo da moda reflete uma necessidade de mudança no meio.

Desta forma, a label proporciona uma nova visão da indústria em sua criações, adicionando frescor à marca.

Versace agora pertence a Michael Kors

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Foi batido o martelo em setembro: o grupo Michael Kors anunciou que comprou a Versace por US$ 2,1 bilhões (cerca de R$ 8,6 bilhões). A mudança de ações da grife italiana para a norte-americana será concluída até o final de 2019, e ainda não se sabe por quanto tempo Donatela Versace continuará à frente da direção criativa da label.

Jean-Charles de Castelbajac na Benetton

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A italiana Benetton apontou em outubro Jean-Charles de Castelbajac como novo diretor criativo da label. Sua primeira coleção oficial será apenas no verão 2020, mas o estilista já mostrará alguns designs para o outono 2019.

Hedi Slimane na Celine

Lady Gaga usou com exclusividade a primeira bolsa feita por Hedi Slimane para Céline - Foto: Reprodução/Instagram/@ladygaga

Lady Gaga usou com exclusividade a primeira bolsa feita por Hedi Slimane para Céline – Foto: Reprodução/Instagram/@ladygaga

Hedi Slimane foi nomeado diretor artístico, criativo e de imagem da Celine em fevereiro de 2018, substituindo Phoebe Philo. A primeira peça vista em público do estilista foi usada por Lady Gaga: com exclusividade, a cantora passeou por Paris usando a primeira bolsa feita pelo designer para grife francesa.

Virgil Abloah na Louis Vuitton

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em março, a Louis Vuitton anunciou que o novo diretor criativo da linha masculina da label seria Virgil Abloah. Com uma estreia impecável na passarela, o estilista ainda promete no mundo da moda.

Daniel Lee na Bottega Veneta

Daniel Lee - Foto: Divulgação

Daniel Lee – Foto: Divulgação

Daniel Lee foi anunciado em junho como diretor criativo da Bottega Veneta, estreando no cargo no dia 1º de julho. Lee é britânico, tem 32 anos e estava à frente do ready-to-wear da Celine. Ele já trabalhou na Maison Margiela, Balenciaga e Donna Karan. O estilista assumiu o lugar de Tomas Maiser, que estava há 17 anos na grife.

Louise Trotter na Lacoste

Louise Trotter agora na Lacoste - Foto: Reprodução/Instagram/@louise_trotter_

Louise Trotter agora na Lacoste – Foto: Reprodução/Instagram/@louise_trotter_

Empoderamento feminino em pauta: a Lacoste anunciou em outubro que escolheu a britânica Louise Trotter como nova estilista da grife. É a primeira vez que uma mulher assume a direção criativa da marca do crocodilo em 85 anos de história. Louise substitui o português Felipe Oliveira Baptista, que deixou o cargo em maio passado, depois de 8 anos no comandado do time de moda.

Grifes a favor do meio-ambiente

Armani - Foto: Getty Images

Armani – Foto: Getty Images

Nomes como Diane Von Furstenberg, Chanel, Coach e Versace anunciaram ao longo do ano que não usarão mais peles em suas criações. Também entraram no time da fake fur a Burberry, Versace, Giorgio Armani, Gucci e Givenchy. Vale lembrar que, para diferenciar uma pele de mentirinha de uma legítima, só mesmo com a prova de fogo: em contato com a chama, os pelos animais se queimam. As fibras sintéticas derretem. O momento pede uma reflexão sobre o uso de peles verdadeiras. Consciência limpa!

Leia mais:
Veja os 14 vestidos de noiva mais incríveis de 2018
DOBE apresenta collab com a Superga
As melhores joias para presentear no Natal
Grifes se unem em ação contra danos climáticos