Sheron Menezzes – Foto: Ita Mazzutti, com styling de Patrícia Bastos e maquiagem de Marcelo Hicho

Aos 37 anos, atriz Sheron Menezzes que estará em “Maldivas”, da Netflix, divide-se entre duas casas no próprio Rio, uma na zona sul e outra afastada do centro, “no meio do mato” – fórmula para enfrentar o estresse da pandemia em família.

Bazaar passou 24 horas com a artista. Conheça a sua rotina:

8h30

Logo que acordo, dou aquela espreguiçada. Abro a janela e dou de cara com o Benji (filho de 3 anos) me dando bom dia. Nos acostumamos a nos dividir em dois endereços, e a rotina muda quando estou em Vargem Pequena, no meio do mato, ou na nossa casa da zona sul. Durmo com tampão no olho, bem escurinho, e não gosto de acordar cedo. Mas me levanto bem disposta.

9h

Só bebo café preto ou um suplemento energético e não como nada até o almoço. É hábito! Comecei por dieta, sinto que fico mais disposta e o dia começa melhor. Aprendi que a gente deve comer se sente fome.

10h

Malho em casa com personal trainer três vezes por semana e, ao terminar, tomo meu banho. Nunca ando de pijama pela casa. Tenho aqueles cinco minutinhos, como compartilho nas redes sociais. Virou moda na quarentena, mas sempre fiz skincare. Se não malho, passo um make basiquinho.
11H30

Começo a trabalhar para entregar meus conteúdos, responder e-mails, ler os textos que preciso, dar entrevista, essas coisas. Criei o hábito de fazer tudo sozinha. Dirijo, produzo e edito meus conteúdos. Outro dia, meu treino foi cancelado, coloquei o despertador para mais 15 minutinhos e acordei 12h30 com todo mundo preocupado.

Sempre olho para ver se tem algo urgente, mas não respondo ninguém pela manhã. Apenas a minha mãe ou empresário. E quando meu marido (o lutador Saulo Bernard), está com meu filho na outra casa, porque às vezes o Benji tem atividades e fica difícil ir de um lado para outro estando longe.

Sozinha, almoço por volta das 15h, mas em família como mais cedo. No cardápio tem arroz, feijão e frango ou peixe, legumes na frigideira. Muita proteína. Amo carboidrato, mas deixo para comer pizza à noite, que o Benji adora. Como de tudo e muito bem.

Estava fazendo a série “Maldivas”, da Netflix, quando todo mundo achou que ia voltar. Fizemos preparação de elenco, gravamos. Meu personagem canta e cheguei até a gravar música em estúdio, mas estamos parados. Gravei algumas cenas ao lado de Bruna Marquezine, Manu Gavassi e Carol Castro.

16h

Se Benji não está na creche, brinco, invento, é um verdadeiro se vira nos 30. Quebra-cabeça, tapete de letras, massinha. Ele gosta de regar as plantas, brincar com o cachorro, andar de patinete. Dou essa pausa no trabalho para ficar com ele, que já liga a TV sozinho e assiste “Patrulha Canina” e “PJ Masks” no YouTube… Fala o português muito correto, mas tem uma cadência vocal diferente, como se fosse dublado, em frases como ‘ah, que fofinho’ ou ‘excelente, mamãe. Você fez muito bem’.

Sheron Menezzes – Foto: Ita Mazzutti, com styling de Patrícia Bastos e maquiagem de Marcelo Hicho

Sigo trabalhando até 17h30, hora que o levo para a natação e, na sequência, ele fica na recreação e faço crossfit todos os dias, não importa onde esteja. Amo malhar, fazia três vezes por dia aulas de muay thai, pilates… Gosto de me cuidar, me sinto bem e saudável. Só não malho quando viajo.

Na volta, às 20h, jantamos todo mundo junto. Se o marido cozinha, tem peixe com legumes, se sou eu, uma carne. Faço muito molho pesto, porque temos manjericão na horta e vivo fazendo em conserva para os amigos ou faço acompanhando o macarrão sem glúten. Não como doce, então dá!

21h

Hora do banho do Benji, ver um filme, ler um livro ou ouvir música. Ele canta as músicas que estão na sua playlist, que tem Pete Murray, Bob Marley e Beatles. Para dormir, ele só escuta essa seleção. Se não colocar ele pra dormir às 22h30, só vai a hora que eu for, por volta da meia-noite. Tenho que ir junto, ele pede a minha mão. Não tem mais rotina de casal, estamos no resgate (risos). Gostamos de fazer tudo com ele. Se resolvemos sair para almoçar ou jantar, Benji vai junto. A sós, eu e meu marido assistimos a um filme, série e muito documentário.

Era outra pessoa antes da pandemia, aprendi a não me cobrar demais e a ter mais paciência. Melhorei 300% nessa questão. Me sinto grata por ser mãe e por ter mudado tanto. Não tive babá, quis fazer dessa maneira, é exaustivo, mas muito gratificante. Minha mãe e sogra são muito presentes. Durmo tarde, por volta de 0h.

Para desacelerar, tomo um banho quentinho. Sempre tenho que ver aquela coisinha antes de dormir. Quem produz conteúdo, fica olhando Reels e TikTok, dá umas gargalhadas. Acho engraçadas as dancinhas, mas gosto mais das dublagens.

Sou espiritualista e otimista, acredito em tudo o que é bom. Jogo tarô, rezo, acendo vela e incenso. Sou muito positivista! Vejo o lado bom das coisas, pendo sempre para o lado do copo meio cheio. Contemplo, olho para o mato e agradeço por ter o privilégio de viver em uma casa confortável nesse momento em que há tantas pessoas precisando de muita coisa.