Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

Por Silvana Holzmeister e Rodrigo Yaegashi

Eles são donos de estilos singulares, não se deixam levar por padrões e descobriram que essa maneira de ser é passaporte para a felicidade. Opiniões dos outros? São meros detalhes… Conheça os sete personagens excêntricos que são destaque na edição de fevereiro da Bazaar, que já está nas bancas.

Gama Higai

Gama Higai – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

Desde pequeno, o artista Gama Higai busca se expressar. “Quando todos sorriam para a foto, eu fazia careta”, recorda. Daí para as máscaras foi um pulo. Fascinado pelo acessório, diz que usá-lo é uma experiência social, porque permite entender o que significa ser um “corpo estranho” em uma sociedade que valoriza a “normatividade”. E não tem medo de se sentir deslocado. “Me divirto demais com isso.” Para a Bazaar, ele vive uma living doll com look pin-up em vinil.

Daniela Laloum

Daniela Laloum – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

A florista Daniela Laloum nunca quis ser igual aos outros e sempre prefere o que ninguém quer. São assim suas escolhas para se vestir ou criar os arranjos da Fulô. Ela acredita que, quanto mais espontâneo, mais ousado e inventivo. Como este vestido com babados, encontrado em uma lojinha no Brooklyn, em Nova York, e o dálmata de louça, arrematado em Paris. Acessórios divertidos estão sempre no radar dessa leonina, que se considera meio dramática. “Eu poderia ser atriz.”

Cezar Andrade

Cezar Andrade – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

Vestir looks de balada durante o dia ou pegar transporte público usando slip dress com botas Dr. Martens não é um problema para o estilista Cezar Andrade, que trabalha para as marcas Vanda Jacintho, que assina a saia acima, e Le Lis Blanc. Reprovações, ele tira de letra. “Sempre fui muito seguro.” Alto e magro, adora experimentar modelagens diferentes. “Trabalho com moda, é tentador não usar uma peça linda”, diz ele, que posa com o inseparável galgo italiano Martini.

Marisa Biondo

Marisa Biondo – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

Marisa Biondo conta que a maturidade trouxe liberdade e, de quebra, sentimento de autenticidade. “Em todos os sentidos da minha vida”, conta ela, que se permite não pintar os cabelos – a contragosto das amigas – e viver um dia de cada vez. Isso inclui vestir o que der vontade, mesmo sem ter um evento. E está sempre transformando algo do closet, repleto de itens incríveis, garimpados em viagens, como o antigo quimono japonês que virou o conjunto da foto.

Stephanie Bekes Carmago

Stephanie Bekes Camargo – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

Acessórios extravagantes estão no radar da designer Stephanie Bekes Camargo, que leva esse olhar para as criações da sua marca, a Struktura. Uma delas é este colar de pérolas barrocas. “Sou overdressed, mas gosto da sensação. Você pode estar assim, com um vestido preto, quando poderia usar jeans”, afirma ela, que adora garimpar um bom vintage mundo afora, e tem coleções de cintos e bolsas de tecidos preciosos capazes de mudar um visual minimalista.

Massô

Massô – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

Geminiano, Massô credita ao signo a qualidade de dividir-se em dois. Para o dia, prefere básicos, como bermuda preta e camisa branca. Mas, para baladas ou palco, não abre mão de algo inesperado. Designer de joias exuberantes, está lançando seu primeiro single, “Refém do Desejo”, depois do fim da banda Alencastro. Para performar como músico, conta quase sempre com as criações de Fernando Cozendey, como o macacão setentista que ele usa na foto.

Rita Comparato

Rita Comparato – Foto: André Passos, com beleza de Paulo Liman

O dom para misturar cores levou a estilista Rita Comparato às aulas de desenho quando criança. “Sorte da minha mãe, que ganhou companhia para os museus.” Foi assim que ela foi moldando o talento para estampas que foram parar, primeiro, na Neon (com Dudu Bertholini) e, agora, estão na Irrita, seu projeto solo. Também são os prints com pegada étnica que dominam seu closet. “Tenho inseguranças, vestir não é uma delas. Ao contrário, é minha alegria.”